top of page

Como saber se algo não vai bem com o cachorro

Atualizado: 17 de ago. de 2021

Você conhece bem o seu cão? Assim como o cachorro conhece o seu tutor, nós também devemos conhecê-lo a ponto de percebermos quando ele tem um problema e precisa de atenção especial.

Seu amigo peludo pode saber exatamente o que você está sentindo. Mas para que você possa entender o que se passa com ele é necessário mais do que conhecê-lo bem. Para cuidar bem da saúde e bem-estar do pet é preciso estar atento às mudanças de comportamento que ele apresenta. (Foto: DogHero)

Mesmo que você ache que conhece muito bem o seu bichinho e que sabe imediatamente o que quer dizer a linguagem corporal dele, às vezes, não é tão fácil perceber se ele tem algum problema físico ou, inclusive, emocional. É então que você se pergunta como é possível saber, com certeza absoluta, que algo vai mal com seu cachorro. Neste artigo, vamos destacar algumas coisas que você deve levar em consideração para conseguir detectar se alguma coisa não vai bem com o seu pet.


Os cães e a dor


Acontece que nossos amigos de quatro patas não manifestam tão abertamente que sentem dor, como acontece com as pessoas. Existem diversos motivos para isso:

  • não conseguem falar nossa língua para nos dizer com mais ou menos detalhes o que está acontecendo com eles;

  • eles têm maior resistência à dor que os seres humanos;

  • eles não manifestam a dor por uma questão de sobrevivência, uma coisa que herdaram dos ancestrais.


Iremos dizer quais são os sinais aos quais você deve prestar atenção para determinar se o seu bichinho apresenta algum problema de saúde, tanto no âmbito físico quanto emocional.


Sinais que indicam que algo não vai bem com seu cachorro


Mas, no geral, se algo vai mal com seu cachorro, você perceberá alguma mudança de comportamento, ou então, que ele deixa de realizar alguns comportamentos habituais.


Preste atenção a:

  • excesso de vocalizações: gemidos, uivos, grunhidos e até latidos. Se o seu cachorro está mais expressivo 'verbalmente', é melhor você ficar em estado de alerta;

  • um asseio constante em uma determinada parte do corpo. Mesmo que ele não tenha uma ferida visível, o mais provável é que seu animal de estimação esteja querendo aliviar uma dor interna, lambendo de forma persistente o local dessa dor;

  • se o animal dorme mais do que de costume. Se um cão não se sente bem, é muito provável que passe mais horas descansando. Talvez faça isso para tentar se curar ou porque é difícil para ele se movimentar muito.


Outros sinais de que seu bichinho não se sente bem


Embora pareçam óbvios, não é demais lembrar estes sinais que, com certeza, indicam que seu bichinho tem algum problema de saúde:

  • está sem vontade de comer;

  • bebe água em excesso ou deixa de tomá-la;

  • respira de forma alterada, apesar de não ter feito nenhuma atividade física em excesso;

  • não quer brincar ou passear;

  • apresenta dificuldades para se deitar, se sentar, se levantar ou se locomover;

  • fica irrequieto;

  • adota comportamentos pouco habituais;

  • esconde-se ou se isola;

  • está mais mimado que de costume;

  • manifesta irritação e, inclusive, tem atitudes agressivas;

  • apresenta mudanças na quantidade e no aspecto da urina e das fezes;

  • vomita de forma constante;

  • está mancando.


Sinais menos evidentes de que o pet apresenta algum problema físico ou emocional


É possível também que certas doenças não se manifestem até que já estejam bem avançadas ou que seus sinais não se apresentem de forma totalmente evidente.


Leve em consideração que:

  • quando um cão fica com os olhos frequentemente semicerrados e suas pupilas encolhem, é provável que esteja sofrendo uma dor ocular;

  • pupilas dilatadas muitas vezes são também sinal de dor em qualquer parte do corpo;

  • os nódulos que ele pode apresentar costumam ter diversas origens e ser benignos ou malignos. Muitas vezes, não são completamente visíveis e não precisam, necessariamente, ser dolorosos. Por isso, é bom que você faça uma busca exaustiva para encontrá-los;

  • as otites são difíceis de detectar. Preste atenção se o seu cachorro não inclina a cabeça de forma persistente;

  • as gengivas esbranquiçadas, geralmente, indicam a anemia.


Além disso, se seu bichinho exala um odor estranho ou desagradável proveniente de qualquer parte do corpo dele, é muito provável que algo não esteja totalmente bem com sua saúde.



Não deixe de levar o seu animal de estimação ao veterinário


Se as suspeitas de que algo vai mal com o seu cachorro se tornam cada vez mais concretas, tente detectar onde o animal sente a dor. Apalpe com cuidado todo o corpo dele, já que a dor pode provocar uma reação agressiva por parte dos animais.


Considere que talvez mudanças de comportamento ou de costumes de seu cão não sejam uma questão física. Não descarte que ele pode estar apresentando um quadro de estresse ou que esteja sentindo medo por algum motivo específico.


De qualquer maneira, o que você tem que fazer é recorrer ao veterinário sem perder tempo. A ideia é que seja possível diagnosticar rapidamente o que acontece com o seu bichinho e dar-lhe o tratamento mais adequado.





Solidarize-se com os animais da APIPA

Solidarize-se com os cães e gatos carentes assistidos pela APIPA. O nosso centro de acolhimento está sempre superlotado, operando com o dobro de sua capacidade, sendo necessário que se faça coletas diárias de doações de ração, material de limpeza, medicamentos veterinários e jornais. Um dia de consumo de ração no abrigo equivale a 25 kg para os cães adultos e entre 12 e 15 kg para os gatos, sem contar os filhotes. Para fazer a higienização do abrigo, usamos diariamente 5 litros de desinfetante e 5 litros de detergente, além de muito saco de lixo, esponjas, vassouras e rodos. O amigo interessado em ajudar pode entregar os donativos diretamente na sede da Entidade, ou ainda, se preferir, fazer as doações em dinheiro por meio de depósitos bancários (contas abaixo).


Venha ajudar a APIPA! Falta RAÇÃO e demais itens básicos para manutenção do abrigo A protetora Isabel Moura, que é uma das fundadoras e membro da atual diretoria executiva da APIPA, fala um pouco sobre a importância da adoção de animais carentes e o trabalho que a Entidade desenvolve na reabilitação de cães e gatos resgatados em situação de maus-tratos e abandono (vídeo).


Devido à pandemia, as visitas ao abrigo da APIPA sofreram algumas restrições, sendo agora necessário que o visitante faça prévio agendamento por meio do Instagram.

Como ajudar a APIPA

Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos! Ajude! APIPA pede que as doações continuem durante pandemia Pandemia: APIPA sofre com redução de 70% nas DOAÇÕES ao abrigo Faça a sua doação de ração para cães e gatos: Ajude! Falta ração para alimentar mais de 300 animais famintos CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações) CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8 Pix: apipa.bbrasil@gmail.com

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0 Pix: apipa.cef@gmail.com

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4


Com informações do Meus Animais

Comments


bottom of page