top of page

Paty: cadela paraplégica há 6 anos espera por adoção na APIPA

Atualizado: 1 de fev. de 2022

Comova-se com a história de sofrimento da cadelinha Paty, que aguarda há seis anos por uma nova chance de adoção, sendo assistida pela APIPA. Conheça histórias tristes que resultaram em casos de adoção solidária, com finais felizes para os bichinhos envolvidos.

A cadelinha Paty foi resgatada em situação deplorável, há cerca de seis anos, ficando, desde então, sob os cuidados da APIPA. Quando foi abandonada pela antiga família, a bichinha foi entregue para um caminhão que faz a coleta do lixo, passando a ser, a partir daquele momento, brutalmente agredida pelos lixeiros malvados e criminosos, que a torturaram sem piedade, causando-lhe grave lesão em sua coluna. Aqueles humanos perversos e irresponsáveis, que mantinham a guarda da Paty, praticaram este bárbaro ato de crueldade quando souberam que ela estava grávida. Mas este é só mais um caso que ficou marcado no extenso rastro de crueldade, entre tantos outros relatos que contam a nefasta história da barbárie humana contra os animais. (Imagens: TV Clube)

A cadelinha Paty está há seis anos sendo assistida pelo centro de acolhimento da Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais (APIPA) e esperando por uma nova chance de ter um tutor. Após ser despejada no lixo e ser brutalmente torturada por humanos perversos, a bichinha sofreu uma grave lesão na coluna, que a deixou paraplégica. Mesmo já tendo aproximadamente oito anos de idade, sendo também portadora de necessidades especiais, esta sofrida cachorrinha ainda espera ser adotada, pois sabemos que também é digna, como qualquer outro animal carente, de fazer parte de uma família, recebendo os cuidados de tutores amorosos e responsáveis. Veja reportagem da TV Clube (vídeo).



"A família antiga da Paty deu ela para o caminhão de lixo levar quando ela estava grávida. Eles (lixeiros), ao invés de pegar a cachorrinha e colocar em algum lugar, jogaram ela do caminhão. Quando ela caiu, já lesionou a coluna", contou Isabel Moura, tesoureira da Associação.


Os filhotes que Paty esperava foram retirados por meio de uma cesárea, porque morreram antes de nascerem. Segundo Isabel, como a cachorrinha não caminha e permanece sempre deitada, é feito um revezamento de lados. Na hora de comer, ela fica de um lado. Quando vai dormir, já é outra posição.


Na APIPA, Paty recebe atendimento fisioterapêutico. De acordo com Isabel, já se nota um avanço em seu estado de saúde. Agora ela já consegue mover umas das patas.


Histórias tristes com finais felizes


Apesar das histórias de maus-tratos, os casos de adoções de animais portadores de necessidades especiais têm crescido na APIPA. Histórias com finais felizes, como o caso da cadela Babi, que ganhou um lar após cinco anos de espera no abrigo da Associação.


A cachorra cega foi encontrada com poucos meses de vida dentro de uma caixa em um lixão na Vila Irmã Dulce, Zona Sul de Teresina, sendo resgatada pela protetora Jane Haddad, que é administradora do abrigo da APIPA. Após anos de tratamento, para se curar de anemia causada pela doença do carrapato, ela conseguiu reabilitar-se. Em janeiro deste ano, encontrou a tão esperada família, que a acolheu.


Cadela Babi brinca com a garotinha Gabriele, acolhida por sua nova família. (Foto: APIPA®)


Outra história com final feliz é a do Moisés, que foi adotado pela professora Andreia Fortes. Mesmo com uma pata quebrada e idade avançada, de sete anos, Moisés conseguiu ser adotado, em dezembro de 2020.


"O Moisés é muito fofo, carinhoso, protetor, amigo, ele me faz tanta companhia. Meu filho adora passar tempo com ele também. Ele é especial de verdade", falou a professora.


Andreia, recentemente, adotou outro amigo. Comovida pela história, a professora adotou Sheldom, que tem problemas neurológicos devido a sequelas decorrentes da cinomose.


"Porque no início é igual às crianças, têm que tomar vacina. E, no caso, ele não tomou a vacina para cinomose. Então a pessoa fez a devolução como se fosse uma mercadoria, aí eu me emocionei com a história dele e trouxe ele para cá", disse Andreia.





Solidarize-se com os animais da APIPA


Solidarize-se com os cães e gatos carentes assistidos pela APIPA. O nosso centro de acolhimento está sempre superlotado, operando com o dobro de sua capacidade, sendo necessário que se faça coletas diárias de doações de ração, material de limpeza, medicamentos veterinários e jornais. Um dia de consumo de ração no abrigo equivale a 25 kg para os cães adultos e entre 12 e 15 kg para os gatos, sem contar os filhotes. Para fazer a higienização do abrigo, usamos diariamente 5 litros de desinfetante e 5 litros de detergente, além de muito saco de lixo, esponjas, vassouras e rodos. O amigo interessado em ajudar pode entregar os donativos diretamente na sede da Entidade, ou ainda, se preferir, fazer as doações em dinheiro por meio de depósitos bancários (contas abaixo).



A protetora Isabel Moura, que é uma das fundadoras e membro da atual diretoria executiva da APIPA, fala um pouco sobre a importância da adoção de animais carentes e o trabalho que a Entidade desenvolve na reabilitação de cães e gatos resgatados em situação de maus-tratos e abandono (vídeo).



Devido à pandemia, as visitas ao abrigo da APIPA sofreram algumas restrições, sendo agora necessário que o visitante faça prévio agendamento por meio do Instagram.








Como ajudar a APIPA


Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos!




Faça a sua doação de ração para cães e gatos:


CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações)


CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8 Pix: apipa.bbrasil@gmail.com

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0 Pix: apipa.cef@gmail.com

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4




Com informações da TV Clube

Comments


bottom of page