top of page

Adoção: você está preparado para cuidar de cachorro ou gato?

Você pretende integrar um animal de estimação à família? A pessoa ou família que decida pela adoção de um pet, deve compreender que exercer a guarda de cachorro ou gato é um compromisso de longo prazo que envolve uma decisão responsável e consciente.

Adoção responsável envolve zelar pela saúde, bem-estar e segurança do animalzinho. Há inúmeros animais carentes em abrigos aguardando por uma chance de ser adotado. (Foto: Pet Pillow)

Quando alguém vai adotar um animalzinho de uma entidade protetora (abrigo), é comum que responda a um questionário de adoção. São perguntas como: 'há alguém em sua casa alérgico a pelos?'; 'seus familiares estão de acordo com a adoção?'; 'o que fará com o animal quando viajar?', entre outras do tipo. O objetivo é avaliar se o candidato a adotante está apto ou não para levar um pet para casa. Este cuidado minimiza as chances de devolução ou um futuro abandono do cão ou gato.


Muitas outras perguntas precisam ser respondidas e o candidato – que deve ser maior de idade – também precisa apresentar documentos e assinar um termo de responsabilidade, em que se compromete a zelar pelo bem-estar do novo companheiro. Afinal, adoção é coisa muito séria.


Algumas pessoas chegam a achar exagero, mas é preciso levar em consideração que os animais assistidos por aquela instituição ou protetor independente foram resgatados de uma situação de abandono e extremo sofrimento. Via de regra, esses bichinhos precisam ser tratados e reabilitados dos maus-tratos sofridos, antes de estarem prontos para ganhar uma família definitiva.


A reabilitação de um animal resgatado, que vivenciou situações de maus-tratos e sofrimento, sempre tem um custo elevado para a instituição ou o protetor independente. Além disso, de nada valerá o trabalho que se teve com o bichinho, se ele for entregue a alguém irresponsável que não tenha compromisso com o seu bem-estar.


Se você estiver considerando aumentar a família e dar e receber amor de um companheiro felino ou canino, fique atento a alguns pontos que destacamos para você observar. Assim, saberá se está preparado ou não para exercer a guarda um animal de estimação e ser muito feliz!



Segurança da casa


Preparar o coração para acolher um animalzinho até que pode ser fácil. Mas é preciso entender que a casa também precisa estar preparada para receber o novo morador. Após a adoção, pode levar um tempo até o novo integrante da família se acostumar com o novo lar. É fundamental que a casa seja um lugar seguro, sem rotas de fuga.


Em casas, grades, portões e muros precisam ser seguros o suficiente para evitar o acesso livre dos animais à rua.


Já em apartamentos, janelas, sacadas e varandas precisam ser teladas. Este ponto é ainda mais imprescindível quando o animal escolhido é um gatinho. Neste caso, todas as janelas precisam de proteção. É o mesmo cuidado que se tem ao ter em casa uma criança.


Se o cão for pequeno, também é preciso checar se seu corpo não passa pela abertura do parapeito da sacada. Esse cuidado é essencial para evitar acidentes.



Despesas compatíveis com seu orçamento


É importante saber que a adoção responsável deve levar em conta que os animais de estimação precisam de vacinas, alimentação de qualidade e assistência veterinária, entre outros cuidados.


“Muita gente adota no momento da emoção e não pensa em tudo isso”, comenta a veterinária Graciela Mendes. “Além disso, ele pode adoecer, e o tutor terá gasto com consulta, exames, medicamentos e eventual cirurgia. Então, se a pessoa tem a intenção de ter um bichinho, a primeira coisa que ela tem que olhar é o orçamento dela”, afirma.



Existência de alergia


Pelos e saliva dos animais podem ser alergênicos e causar sintomas em pessoas predispostas a alergias. Então, antes de optar pela adoção, esteja ciente sobre sua condição de saúde, bem como a de seus familiares.


Tempo para passeio


Mesmo que sua casa tenha espaço para brincadeiras e banhos de sol, os cães precisam passear na rua e ter convivência com outros animais e pessoas. Por isso, é tão importante manter uma rotina de passeios, mesmo que seja uma volta curta no quarteirão.



Ainda não estou preparado para adotar. O que devo fazer?


Caso o que te impeça de adotar um cachorro ou um gato seja a segurança da sua residência, é possível resolver. Contate uma empresa ou um profissional especializado em instalar proteção para sacadas e janelas para realizar um serviço no seu apartamento. Se morar em casa, reforce os muros com grades e telas para evitar possíveis fugas, caso o animal escolhido seja um gatinho.


Se os motivos que te impedem de adotar um pet forem outros, pedimos que considere ajudar os animais carentes de outra forma. Você pode apadrinhar um bichinho de algum abrigo ou oferecer doações periódicas de ração, brinquedos, medicamentos veterinários, materiais de limpeza e de higiene para as instituições e protetores independentes que sejam verdadeiramente comprometidos com a causa. Há milhares espalhados por todo o país.




 

Cadelinha Érica quer ser adotada - ajude realizar a castração.


Parabenizamos a protetora Priscila Maia Dias, voluntária integrante da Diretoria da APIPA, por seu aniversário.

 









Solidarize-se com os animais da APIPA

Solidarize-se com os cães e gatos carentes assistidos pela APIPA. O nosso centro de acolhimento está sempre superlotado, operando com o dobro de sua capacidade, sendo necessário que se faça coletas diárias de doações de ração, material de limpeza, medicamentos veterinários e jornais. Um dia de consumo de ração no abrigo equivale a 25 kg para os cães adultos e entre 12 e 15 kg para os gatos, sem contar os filhotes. Para fazer a higienização do abrigo, usamos diariamente 5 litros de desinfetante e 5 litros de detergente, além de muito saco de lixo, esponjas, vassouras e rodos. O amigo interessado em ajudar pode entregar os donativos diretamente na sede da Entidade, ou ainda, se preferir, fazer as doações em dinheiro por meio de depósitos bancários (contas abaixo).


Feliz Aniversário! APIPA congratula a protetora Temis pelos seus 80 anos A protetora Isabel Moura, que é uma das fundadoras e membro da atual diretoria executiva da APIPA, fala um pouco sobre a importância da adoção de animais carentes e o trabalho que a Entidade desenvolve na reabilitação de cães e gatos resgatados em situação de maus-tratos e abandono (vídeo).


Devido à pandemia, as visitas ao abrigo da APIPA sofreram algumas restrições, sendo agora necessário que o visitante faça prévio agendamento por meio do Instagram.

Como ajudar a APIPA

Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos! Ajude! APIPA pede que as doações continuem durante pandemia Pandemia: APIPA sofre com redução de 70% nas DOAÇÕES ao abrigo Faça a sua doação de ração para cães e gatos: Ajude! Falta ração para alimentar mais de 300 animais famintos CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações) CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8 Pix: apipa.bbrasil@gmail.com

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0 Pix: apipa.cef@gmail.com

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4


Com informações do Catraca Livre

bottom of page