• Apipa

Verdades e mentiras sobre coronavírus e animais

Atualizado: Abr 16

Procure manter-se alerta para não se deixar levar pelas falsas notícias (fake news). Há muitas dúvidas que permanecem sobre os animais e o coronavírus, que merecem ser esclarecidas. Afinal, o que é e o que não é verdade a respeito dos animais e da Covid-19? E mais: o que podemos e não podemos fazer com nossos pets no contexto da quarentena?

A pandemia e a consequente quarentena, ao modificarem a rotina das pessoas, afetam negativamente os animais. Neste contexto, a discussão sobre a influência da Covid-19 nos bichos se intensifica em meio a um constante bombardeamento de fake news, invariavelmente gerando mais sofrimento a tutores e pets. (Foto: Yasmin Viega)

Em momentos de indefinições e dúvidas, é natural procurarmos por informações como quem procura uma saída – e, da mesma forma, é compreensível o desejo de dividir com o maior número de pessoas uma eventual novidade, solução, ou mesmo uma notícia grave. Acontece que os tempos de quarentena e de combate ao coronavírus são também tempos de desinformação e das falsas notícias (fake news), e a difusão de inverdades pode ser um combustível terrível para potencializar as angústias, preocupações e sofrimentos, dificultando ainda mais um momento tão complicado. As informações verdadeiras e corretas, em compensação, são aliadas e ajudam na nossa sanidade.


De modo geral, há muitas dúvidas que permanecem sobre os animais e o coronavírus, que merecem ser esclarecidas. Afinal, o que é e o que não é verdade a respeito dos animais e da Covid-19? E mais: o que podemos e não podemos fazer com nossos pets no contexto da quarentena?


Covid-19: isolamento humano intensifica sofrimento a animais de rua


Separamos as dúvidas mais frequentes que envolvem os animais e a pandemia – em especial como devemos agir em casa durante a quarentena com nossos cães e gatos – e procuramos responder às verdades, mentiras, dúvidas e poréns sobre o tema. Nem tudo é somente verdade nem somente mentira, mas cada assunto merece os esclarecimentos possíveis e as informações que já possuímos, para podermos melhor lidar com nossos bichos nesse momento.


Morcegos são responsáveis pelo surgimento da doença? Provável, mas…


Não há ainda uma conclusão absoluta sobre a origem do coronavírus, mas é bastante provável que sim, ele tenha vindo de morcegos na China. É provável também que o Pangolim, um dos animais mais traficados do mundo, seja o elo entre o morcego e os seres humanos. Os morcegos são um dos mamíferos mais comuns que existem, e são especialmente resistentes aos vírus – mas eles não são os vilões: quanto mais o ser humano desmata e invade o habitat de animais selvagens, mais comuns serão essas contaminações. Esse é o porém: a culpa do contágio é da ação humana, seja pelo contato direto com animais selvagens, seja pelo desmatamento e o tráfico ilegal de animais silvestres.


Jane Goodall: 'o desprezo pela natureza causa esta pandemia'


Animais domésticos transmitem a doença? Não como hospedeiros, mas…


Novos estudos sugerem que, ainda que os casos sejam raros, animais podem se infectar com o novo coronavírus, mas não podem transmitir como hospedeiros para os seres humanos. O porém, nesse caso, são os 'animais como superfícies', que podem 'carregar' o vírus em seus pelos e patas, da mesma forma que o vírus pode 'resistir' em nossas mãos ou roupas. Por isso é tão importante manter em dia a higiene dos pets, especialmente se eles tiverem de sair à rua ou se expor em qualquer situação. Lavar as patas e os pelos e todos os objetos do bicho com água e sabão, assim como para nós, é a solução.


A vacina contra coronavírus para cães funciona em humanos? Não!


Um vídeo circulou recentemente mostrando vacinas desenvolvidas para cães anteriormente à pandemia atual que já combatiam o coronavírus – e aí começou uma enorme confusão, sugerindo que não só a doença seria antiga, como que a vacina combateria a Covid-19 em seres humanos. Todas essas informações não poderiam estar mais erradas: acontece que existem outros coronavírus anteriores (por isso o uso comum do adjetivo 'novo' para se referir ao vírus atual, responsável pela Covid-19). E mais: o vírus que a vacina canina combate é o CCoV, ou coronavírus entérico canino – uma doença de cães. Portanto, vale frisar o óbvio: vacinas para cães só funcionam para cães. Tomar uma vacina desnecessária sobrecarrega nosso sistema imunológico sem qualquer benefício para nosso corpo. A vacina, portanto, NÃO FUNCIONA para seres humanos e NÃO DEVE ser tomada.


Saiba o que são as coronaviroses canina e felina


Posso levar meu cão para passear? Não! Mas…


O momento é de isolamento total – devemos permanecer em casa para combater a disseminação da doença. É importante, porém, os cuidados com a saúde do animal: se sair com o animal é algo urgente e inevitável, é fundamental higienizar com água e sabão as patas do animal ao retornar para casa, assim como impedir qualquer contato com outros animais e com pessoas. É igualmente fundamental higienizar todos os objetos, como coleiras, potes e outros utensílios. Recomenda-se também o uso de botas nas patas, como as que protegem de altas temperaturas – botas também devem ser higienizadas no retorno ao lar.


Devo ter algum cuidado especial com a alimentação do meu cachorro? Sim!


Sabemos que boa alimentação é sinônimo de boa saúde, e essa regra também vale para os pets. A quarentena é um momento de estresse e ansiedade para os bichanos, por isso é tão importante cuidar da saúde de nossos amiguinhos ao máximo. Com os passeios impedidos e o espaço reduzido para os cães gastarem sua energia e suas calorias, os animais podem ganhar peso e prejudicar sua saúde, e por isso a melhor e mais natural ração para cachorros é um grande diferencial durante a quarentena.


Quarentena pode facilitar ganho de peso em pets


Recomendamos que ofereça a seu pet uma ração mais natural e saudável possível. Procure as rações que são desenvolvidas a partir de receitas equilibradas baseadas em ingredientes naturais e que não utilizam transgênicos, corantes nem conservantes artificiais. Existe ração que utiliza o alecrim como antioxidante natural. E você deve estar ciente que para cada fase da vida de um cachorro existe uma ração adequada. Os cuidados com a alimentação devem ir além das rações, também quando for oferecer os petiscos, pois seu pet sempre vai esperar que sejam saudáveis e deliciosos.


Devo evitar contato com meu pet? Depende!


Não há nenhuma confirmação ou indício de que os animais domésticos transmitam, como hospedeiros, o novo coronavírus para seres humanos. Mas, conforme dito no caso dos passeios, os pelos, patas e coleiras dos bichos podem servir como superfície para 'transportar' o vírus até outro animal ou para o ser humano. Por isso, quem apresentar sintomas deve sim evitar o contato com os bichos: não por transmissão direta, mas para que outras pessoas que também tenham contato com o animal não se infectem.


Coronavírus: face mais cruel da pandemia é abandono de animais


Devo me preocupar com o nível de estresse do meu pet? Sim!


Um momento de especial ansiedade ou estresse para os humanos é sempre sentido pelos animais. E quando esse momento altera a rotina da casa e dos próprios bichos, o efeito é direto. No contexto da quarentena, é de imensa importância a interação e a preocupação com seus animais, por isso: brincar com eles sempre que possível, oferecer brinquedos novos, tentar manter velhas rotinas e hábitos podem ajudar os bichanos a enfrentarem conosco esse momento difícil - que se torna um pouco mais fácil na companhia de nossos amiguinhos pets.


Reconheça 10 sinais de estresse para ajudar seu cachorro


Como ajudar a APIPA


Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos!


Faça a sua doação de ração para cães e gatos:

Ajude! Falta ração para alimentar mais de 300 animais famintos


CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações)


CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4


Abandono de animais aumenta e APIPA pede ajuda em Teresina


AJUDE os animais carentes do abrigo da APIPA


APIPA suspende temporariamente as visitas e adoções de animais, em cautela à pandemia de coronavírus. No entanto, vem lembrar aos amigos que a rotina interna em seu centro de acolhimento continua com seu funcionamento normal, pois não pode parar. Pedimos que continuem ajudando, fazendo as doações.


Ajude! APIPA pede que as doações continuem durante pandemia


Para adotar um amiguinho em Teresina, conheça o abrigo de animais carentes da APIPA


As adoções tinham sido temporariamente suspensas por conta da pandemia. Atendendo a pedidos de amigos, a APIPA já começa a disponibilizar alguns animais para adoção. Confira mais informações em post no Facebook.


Com informações do Hypeness

APIPA® - ASSOCIAÇÃO PIAUIENSE DE PROTEÇÃO E AMOR AOS ANIMAIS

CNPJ: 10.216.609/0001-56

BANCO DO BRASIL
Ag: 3507-6 / CC: 57615-8

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0

BANCO SANTANDER
Ag: 4326 / CC: 13000087-4

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon

contato.apipa@gmail.com

Rua Trinta e Oito, 1041 - Loteamento Vila Uruguai - Bairro Uruguai (6 quadras após a UNINOVAFAPI)

Teresina, PI - CEP 64073-167

COPYRIGHT © 2018

Site criado pela Pix Marketing Digital

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon