top of page

Quindim: cão que 'pediu ajuda' no Ceará é tratado com quimioterapia

Atualizado: 18 de mar. de 2021

O cão de rua ferido que entrou sozinho em clínica 'para pedir ajuda' no Ceará ganha o nome de Quindim e já passou pela primeira sessão de quimioterapia. Ele recebe os cuidados da médica veterinária Dayse Silva, que é dona da clínica que o acolheu.

A médica veterinária Dayse Silve cuida do vira-lata Quindim. Cão reagiu bem à primeira sessão de quimioterapia. Vários pretendentes já manifestaram interesse em adotar o cãozinho. (Foto: Ricardo Rodrigues)

O cachorro vira-lata que entrou sozinho em uma clínica veterinária e recebeu atendimento da dona do estabelecimento, no Centro de Juazeiro do Norte, Ceará, recebeu o nome de Quindim. Ele continua recebendo os cuidados da veterinária Dayse Silva, que o acolheu desde o primeiro momento em que ele entrou no local. A cena foi registrada por uma câmera de segurança, em 6 de março. Veja reportagem da BBC News Brasil (vídeo).



Dayse percebeu um ferimento na pata do animal e, após avaliação, ele também foi diagnosticado com um tumor. "Ele tem TVT, que é tumor venéreo transmissível. É uma doença muito comum que é tratada com quimioterapia. Como eu poderia negar esse atendimento a ele?", disse a dona da clínica.


Dayse explica que, quando o cão puder ser adotado, após o tratamento, vai escolher a dedo o novo tutor de Quindim, entre os vários pretendentes, para que ele possa receber os cuidados que merece. Os custos do tratamento do cão serão pagos por recursos arrecadados em uma vaquinha on-line.


Nas imagens do momento em que o animal foi à clínica, é possível ver o cachorro se aproximando da porta e entrando no estabelecimento. Ele faz movimentos com uma das patas e parece 'pedir ajuda', quando a veterinária se aproxima e faz a verificação. Dayse diz que o animal pode ter entrado na clínica por farejar a presença de outros animais que estavam em atendimento no local.


Quindim já passou pela primeira sessão de quimioterapia e reagiu bem à medicação recebida. "Ele está muito bem. Animado, esperto, bem diferente de quando chegou aqui. Já não tem nenhum sangramento e não dá sinais de que esteja sentindo dores. Reagiu bem à primeira sessão da quimioterapia e vamos avaliar a cada novo procedimento para saber quantas ele vai precisar fazer. Geralmente são realizadas entre quatro a sete sessões, mas analisaremos dia a dia", afirmou Dayse.


Quindim o tempo todo expressa a sua felicidade, agradecendo o carinho que recebe da médica veterinária. "Esse aqui é o rapaz que chegou na clínica pedindo ajuda e, como vocês veem, ele está muito bem, muito animado e se recuperando da primeira sessão de quimioterapia", diz. O animal passa a noite na casa da veterinária e volta para a clínica durante o dia para receber os cuidados.



Adoção


A repercussão do caso foi tanta que em pouco mais de 24 horas vários pretendentes a adoção apareceram, seja presencialmente ou por meio de ligações telefônicas e redes sociais, inclusive pessoas de outros estados.


"Teve um senhor de Brasília que se mostrou bastante interessado em adotar o cachorro. Ele disse que mandaria buscar o cão aqui em Juazeiro do Norte, mas a gente precisa que o pretendente venha pessoalmente para poder fazermos a entrevista e avaliarmos todas as condições", explicou a médica.


Doações para o tratamento


A clínica Vet Vip, onde o animal faz tratamento da doença, realiza uma campanha virtual para angariar recursos para serem usados na compra de medicação e custear as despesas da internação. Na terça-feira (9), a meta de R$ 4 mil, estipulada pela campanha, já havia sido batida. Todo o valor que ultrapassar o objetivo inicial será revertido na compra de ração para algumas ONGs que prestam assistência a animais abandonados da região.


Para fazer uma doação ao cãozinho Quindim, acesse a página:





Solidarize-se com os animais da APIPA


Solidarize-se com os cães e gatos carentes assistidos pela APIPA. O nosso centro de acolhimento está sempre superlotado, operando com o dobro de sua capacidade, sendo necessário que se faça coletas diárias de doações de ração, material de limpeza, medicamentos veterinários e jornais. Um dia de consumo de ração no abrigo equivale a 25 kg para os cães adultos e entre 12 e 15 kg para os gatos, sem contar os filhotes. Para fazer a higienização do abrigo, usamos diariamente 5 litros de desinfetante e 5 litros de detergente, além de muito saco de lixo, esponjas, vassouras e rodos. O amigo interessado em ajudar pode entregar os donativos diretamente na sede da Entidade, ou ainda, se preferir, fazer as doações em dinheiro por meio de depósitos bancários (contas abaixo).



A protetora Isabel Moura, que é uma das fundadoras e membro da atual diretoria executiva da APIPA, fala um pouco sobre a importância da adoção de animais carentes e o trabalho que a Entidade desenvolve na reabilitação de cães e gatos resgatados em situação de maus-tratos e abandono (vídeo).



Devido à pandemia, as visitas ao abrigo da APIPA sofreram algumas restrições, sendo agora necessário que o visitante faça prévio agendamento por meio do Instagram.






Como ajudar a APIPA


Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos!




Faça a sua doação de ração para cães e gatos:


CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações)


CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8 Pix: apipa.bbrasil@gmail.com

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0 Pix: apipa.cef@gmail.com

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4




Com informações da TV Verdes Mares

Comments


bottom of page