top of page

Pandemia: ações de solidariedade de protetores ajudam animais no PI

Atualizado: 20 de jul. de 2020

Período de pandemia vem sendo marcado pelo aumento de casos de abandono e maus-tratos a animais em Teresina. Neste contexto, destacam-se as ações sociais de solidariedade desenvolvidas por protetores a fim de ajudar cães e gatos em situação de vulnerabilidade.

Pandemia fez dobrar casos de abandono e maus-tratos a animais em Teresina. (Fotos: Divulgação / Meio Norte)

Organizações e protetores independentes que se dedicam a prestar assistência a animais carentes em Teresina têm notado um expressivo aumento nos casos de abandono e outras formas de crueldade que são praticados contra os cães e gatos, tendo em vista o crescente número de denúncia sobre maus-tratos e pedidos de resgate ora percebidos durante o período de quarentena decorrente da pandemia de Covid-19. Assim, neste caos social em que os pets também estão inseridos, o imprescindível trabalho de protetores ganha importância especial.


Assista ao vídeo / TV Assembleia



Um dos maiores abrigos da capital, o Lar do Nando, atualmente recebe o dobro de solicitações. Leiliane Oliveira, uma das administradoras do local, explica que o período de pandemia vem sendo marcado pelo aumento de casos de abandono e maus-tratos contra os animais.


"Quase todos os dias nós recebemos em torno de 20 pedidos para salvar animais abandonados, presos em residências, acorrentados, esfaqueados e violentados", relata a protetora.


Antes da pandemia, o abrigo recebia em torno de 10 pedidos de resgate por dia, em média. No final do mês de junho, em Luzilândia, interior do Piauí, um cachorro teve os olhos perfurados e ficou cego. O Lar do Nando acolheu Duque, nome do animal, para ajudar com a cirurgia e tratamento, já que os tutores não tinham os recursos financeiros para custear as despesas. Este crime bárbaro gerou grande revolta no Estado e a Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o caso.


Leiliane informa que, além dos casos de agressões físicas, os resgates em residências e prédios agora são mais frequentes. "Tivemos o caso de mais um cãozinho. Foi preciso arrebentar a grade e o portão, porque a polícia os bombeiros não puderam ir", acrescenta. O caso aconteceu no Parque Piauí, Zona Sul de Teresina.



A protetora aponta que houve acréscimo no número de adoção de cães. Neste contexto em os animais são afetados, nem tudo traz consequências nefastas. Enquanto a desinformação serve para perpetuar a ignorância entre aqueles que abandonam os animais, há uma parcela mais consciente da sociedade que reconhece a importância de se conviver com os bichinhos, e isto vem contribuindo para o aumento das adoções de pets durante o isolamento social. "Um fato vantajoso é que tem crescido o número de adoções. No período de pandemia, nós conseguimos doar mais de 20 animais, entre cães adultos e filhotes", destaca. Não houve adoção de gatos no período. Lamentavelmente, nem todos conseguem usufruir da mesma felicidade de encontrar uma família.




Como denunciar crueldade em Teresina


As pessoas perversas, praticantes do abandono e de outras formas de crueldade contra os inocentes podem ser enquadradas na Lei dos Crimes Ambientais, que prevê de três meses a um ano de detenção, além de multa, podendo a pena ser agravada em caso de morte do animal. É importante que se faça a denúncia. "Precisamos que a população continue denunciando para a Delegacia, trazendo informações concretas, como endereço, vídeos/fotos dos animais maltratados", diz Edenilza Viana, titular da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente. Veja onde denunciar em Teresina:


DPMA - Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente

Avenida Raul Lopes, ao lado do Parque Potycabana, Zona Leste de Teresina

Telefone (86) 99449-2387


BPA - Batalhão de Policiamento Ambiental

Av. Duque de Caxias, 3520, Primavera II, Zona Norte de Teresina

Telefones (86) 3225-2748 / 3223-7221 / 3225-2684


DE - Delegacia Eletrônica (online)

Clique no link: dv.pc.pi.gov.br


As denúncias também podem ser realizadas em qualquer delegacia de polícia. Dirija-se ao distrito policial mais próximo e faça a sua denúncia. Os animais agradecem!





Como ajudar a APIPA


Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos!




Faça a sua doação de ração para cães e gatos:


CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações)


CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4




Com informações do Meio Norte

Comments


bottom of page