top of page

Gatos da Praça do Mafuá morrem carbonizados em incêndio

Gatos que habitam a Praça do Mafuá, Zona Norte de Teresina, morreram carbonizados durante um incêndio, nesta quarta-feira (18). No local, felinos em situação de abandono e vulnerabilidade recebem assistência de membros da comunidade e de protetores, que lhes garantem alimentação e outros cuidados. Para a Polícia, há indício de ação criminosa, que já é investigada pela Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA).


A Praça da Mafuá é um dos vários locais que servem de moradia para gatos abandonados em Teresina. Não é a primeira vez que o local se torna alvo de ação criminosa. (Foto: Renato Andrade)

A praça do bairro Mafuá, zona Norte de Teresina, local que server de moradia para dezenas de gatos abandonados, foi incendiado na madrugada desta quarta-feira (18). Em vídeo gravado por populares, é possível constatar vários filhotes mortos em meio à estrutura, que ficou completamente destruída pelas chamas. A suspeita é que o incidente seja resultado de ação criminosa. Veja vídeo com as imagens.



Revoltada com a situação, a diarista Maria da Guia, de 48 anos, chegou a chorar ao presenciar os gatinhos mortos. Ela, que há mais de 10 anos ajuda os animais do local, disse à reportagem do Cidadeverde.com que esta é a segunda vez que o local é destruído.


"Os animais novinhos, não se defenderam, parece que ficaram mais os grandes, os filhotes quase todos morreram, é muita tristeza. Aqui sempre ajudamos eles, trazemos comida e água, mas alguém vem e faz isso com quem não pode se defender. Quero justiça para os animais de rua. O pouco que eu ganho, divido com os animais de rua, trago comida, e vem alguém que não gosta deles e faz isso. Por quê?", questionou a moradora, lamentado o sofrimento dos bichinhos.


Segundo a protetora de animais Raissa Rocha, a estrutura incendiada abrigava cerca de 50 gatos, 10 deles, filhotes recém-nascidos, a maioria abandonada recentemente no local. Diante da lamentável situação, ela decidiu resgatar alguns animais debilitados, vitimados pelas chamas.


"Agora não estou vendo nem 25. Infelizmente, muita gente deixa eles aqui. O que aconteceu aqui foi uma crueldade. Há alguns anos já resgatei gatos daqui, inclusive alguns estão ainda comigo, e agora aconteceu isso que é desumano. Não sei mais o que esperar do ser humano, que simplesmente tem a capacidade de fazer algo assim", lamentou a protetora.


Assista à entrevista da protetora Raissa Rocha concedida ao Programa Diálogo Franco / Meio Norte (vídeo).



Após o registro do boletim de ocorrência (BO), uma equipe da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) se deslocou até o local do crime para fazer a remoção dos animais para exame de corpo e delito, realizar a perícia técnica e ouvir possíveis testemunhas.


Segundo a polícia, o principal suspeito de ter ateado fogo ao abrigo dos gatos é um morador de rua, investigado em outra ação semelhante, de maus-tratos a animais.


“Já tínhamos um procedimento preliminar em andamento, com um suspeito. É uma pessoa com endereço incerto, não sabido, e isso veio a prejudicar as investigações. Uma pessoa, em denúncia anônima, nos ajudou na identificação do suspeito, que é um suposto morador de rua”, informou o delegado Emir Maia.


Dando prosseguimento às investigações, a DPMA tenta encontrar moradores ou imagens de câmeras de vigilância que tenham registrado o crime ou o suspeito. “Vamos tentar localizar essa pessoa para que ela seja ouvida nos autos. Também vamos atrás de outras informações para que possamos investigar as informações com mais propriedade”, pontuou o delegado.


Fotos: Renato Andrade / Cidadeverde.com


Inexistência de políticas públicas


Para a protetora Raissa Rocha (@raissaprotetora), a falta de políticas públicas incentiva o abandono e a proliferação dos animais de rua. "Os gatos são diferentes dos cachorros. Eles não têm um período de seis meses para cada cio, então eles se reproduzem muito mais. O que falta é uma política para a castração desses animais, o que não temos em nosso estado", destacou.



A Apipa assumiu o tratamento da gatinha Maria Mafuá, um dos animais vitimados na tragédia e resgatados pela protetora Raissa Rocha. A Entidade também emitiu uma nota repudiando o ato nefasto praticado contra os sofridos gatinhos que habitam a Praça do Mafuá, em Teresina.




Faça a sua parte - denuncie os maus-tratos


Maltratar animais é crime previsto pela Lei Federal 9.605/98 (Lei de Crimes Ambientais). Vale lembrar que uma nova legislação, a Lei Federal 14.064/20 (Lei Sansão), que entrou em vigor em setembro de 2020, aumentou as penas para quem praticar maus-tratos a cães e gatos. A nova norma estabelece punição que vai de 2 a 5 anos de prisão, além de multa e a proibição de guarda de novos pets. Além disso, o rito processual passa à vara criminal, não mais ao juizado especial.


Denunciar maus-tratos em Teresina - PI


DPMA - Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente

Avenida Raul Lopes, ao lado do Parque Potycabana, Zona Leste de Teresina

Telefone (86) 99449-2387


BPA - Batalhão de Policiamento Ambiental

Av. Duque de Caxias, 3520, Primavera II, Zona Norte de Teresina

Telefones (86) 3225-2748 / 3223-7221 / 3225-2684 / 190


DE - Delegacia Eletrônica (online)

Clique no link: dv.pc.pi.gov.br


As denúncias também podem ser feitas em qualquer delegacia de polícia. Denunciar é um ato de cidadania e de solidariedade ao animal vitimado. Faça a sua denúncia. Os animais agradecem!



 

Pessoal, ajude! A Apipa corre o risco de ficar sem abastecimento de água no abrigo.

 

AJUDE! ANIMAIS DA APIPA EM RISCO DE FOME




Faça um gesto de amor pelos animais da Apipa


CONTA BANCÁRIA DA APIPA PARA DOAÇÕES CNPJ: 10.216.609/0001-56


Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8 Chave Pix: apipa.bbrasil@gmail.com


Neste 2022, vote consciente, vote pelos animais!


Em ano eleitoral, muitos candidatos se apresentam como defensores dos animais, com o intuito de conseguir votos. O eleitor precisa ficar atento para não ser enganado por políticos oportunistas, sabendo identificar os candidatos verdadeiramente comprometidos com a causa animal. Fique alerta!










Ajude a Apipa - situação de emergência









Solidarize-se com os animais da APIPA

Solidarize-se com os cães e gatos carentes assistidos pela APIPA. O nosso centro de acolhimento está sempre superlotado, operando com o dobro de sua capacidade, sendo necessário que se faça coletas diárias de doações de ração, material de limpeza, medicamentos veterinários e jornais. Um dia de consumo de ração no abrigo equivale a 25 kg para os cães adultos e entre 12 e 15 kg para os gatos, sem contar os filhotes. Para fazer a higienização do abrigo, usamos diariamente 5 litros de desinfetante e 5 litros de detergente, além de muito saco de lixo, esponjas, vassouras e rodos. O amigo interessado em ajudar pode entregar os donativos diretamente na sede da Entidade, ou ainda, se preferir, fazer as doações em dinheiro por meio de depósitos bancários (contas abaixo). A protetora Isabel Moura, que é uma das fundadoras e membro da atual diretoria executiva da APIPA, fala um pouco sobre a importância da adoção de animais carentes e o trabalho que a Entidade desenvolve na reabilitação de cães e gatos resgatados em situação de maus-tratos e abandono (vídeo).


Devido à pandemia, as visitas ao abrigo da APIPA sofreram algumas restrições, sendo agora necessário que o visitante faça prévio agendamento por meio do Instagram. Castrar é preciso: apadrinhe uma castração no abrigo da APIPA Guarda Responsável de Animais: assumindo uma vida

Como ajudar a APIPA

Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos! Ajude! APIPA pede que as doações continuem durante pandemia Pandemia: APIPA sofre com redução de 70% nas DOAÇÕES ao abrigo CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações) CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8 Pix: apipa.bbrasil@gmail.com

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0 Pix: apipa.cef@gmail.com

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4


Com informações do Cidadeverde.com

Comments


bottom of page