top of page

Estudo: cortisol nos pelos dos cães indica nível de estresse

O cortisol é um hormônio já relacionado ao estresse, que se acumula no cabelo de humanos e também na pelagem de animais. A medição dessa substância em cães de abrigo revelou que o estado emocional dos bichos apresenta variações ao longo do tempo.


O estudo revela que os cães confinados em abrigos experimentam elevação em seu nível de estresse, na medida em que a permanência no local vai se prolongando. (Foto: Janneke van der Laan)

Cientistas holandeses descobriram que a quantidade de cortisol presente em pelos de cachorros pode indicar o nível de estresse dos animais. Os pesquisadores chegaram a essa conclusão após realizarem análises químicas antes, durante e depois da permanência dos cães em abrigos. Os dados foram apresentados ontem, 21 de abril, na mais recente edição da revista especializada Scientific Reports.


O cortisol é um hormônio já relacionado ao estresse, que se acumula no cabelo de humanos e também na pelagem de animais. Os cientistas da Universidade de Utrecht decidiram examinar se a medição dessa substância nos pets poderia ajudar a revelar o estado emocional dos bichos e suas variações ao longo do tempo. "Essa técnica tem sido amplamente utilizada em humanos e, agora, é avaliada com outras espécies. Queremos usá-la como um medidor de longo período, para entender alterações emocionais de semanas e até meses", detalharam os especialistas no artigo.


No estudo, os pesquisadores examinaram pelos de 52 cães de abrigos em quatro momentos: na hora da admissão (chegada no abrigo), após seis semanas no local, 42 dias depois de serem adotados e ao completarem um semestre no novo lar. As taxas de cortisol verificadas antes da entrada no centro de acolhimento também foram comparadas com as de 20 cães domésticos, que eram semelhantes em termos de raça, idade e sexo.


"Fizemos medições diárias por mais de um ano. Após a adoção, os novos tutores cortaram os pelos dos cães e nos enviaram. Eles foram prestativos e entusiasmados, pois queriam entender mais sobre a saúde de seus animais antes da adoção", explicou, em um comunicado à imprensa, Janneke van der Laan, pesquisadora da Universidade de Utrecht e uma das autoras do estudo. "Além do cortisol na pelagem, medimos a quantidade desse hormônio na urina dos cães. Isso fornece uma imagem de curto prazo, enquanto as medições de pelo revelam o longo prazo", acrescentou.


Alterações


Nas análises, os cientistas não viram diferenças entre os níveis de cortisol dos cães quando eles entraram no abrigo e o grupo controle de cães domésticos, mas após os seis meses no centro de acolhimento a taxa do hormônio do estresse aumentou em um terço. Nas medições feitas seis semanas e seis meses depois da adoção, os níveis de cortisol caíram, em um número próximo ao da primeira medição. "Sabemos que um abrigo não é um ambiente livre de estresse para cães, mesmo que os membros da equipe façam o possível para alcançar o maior bem-estar possível para esses animais", explicou Janneke van der Laan. "Mesmo que você organize um lar de animais de rua da melhor maneira possível, ainda há fatores de estresse, como ter que conviver com uma multidão de outros cães e não poder sair com a frequência habitual", acrescentou a especialista.


Outro resultado que surpreendeu os pesquisadores se refere a níveis mais altos de cortisol em animais menores. "Não temos uma hipótese clara sobre o porquê disso acontecer, mas é um resultado interessante, que será foco de nossas pesquisas futuras", adiantou a autora do estudo. Os cientistas também pretendem realizar análises com outros animas que vivem em abrigos, como gatos.





 

Amigos, estamos cuidando de um cãozinho que precisa de cirurgia para remoção de tumor (carcinoma) na cavidade oral. Veja como ajudar:



Neste 2022, vote consciente, vote pelos animais!


Em ano eleitoral, muitos candidatos se apresentam como defensores dos animais, com o intuito de conseguir votos. O eleitor precisa ficar atento para não ser enganado por políticos oportunistas, sabendo identificar os candidatos verdadeiramente comprometidos com a causa animal. Fique alerta!






Faça um gesto de amor pelos animais da Apipa


CONTA BANCÁRIA DA APIPA PARA DOAÇÕES CNPJ: 10.216.609/0001-56


Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8 Chave Pix: apipa.bbrasil@gmail.com












Ajude a Apipa - situação de emergência












Produtos APIPA® - Promoção Especial


PROMOÇÃO INCRÍVEL - CAMISAS POR R$ 45


Cadelinha Érica quer ser adotada - ajude realizar a castração.







Solidarize-se com os animais da APIPA

Solidarize-se com os cães e gatos carentes assistidos pela APIPA. O nosso centro de acolhimento está sempre superlotado, operando com o dobro de sua capacidade, sendo necessário que se faça coletas diárias de doações de ração, material de limpeza, medicamentos veterinários e jornais. Um dia de consumo de ração no abrigo equivale a 25 kg para os cães adultos e entre 12 e 15 kg para os gatos, sem contar os filhotes. Para fazer a higienização do abrigo, usamos diariamente 5 litros de desinfetante e 5 litros de detergente, além de muito saco de lixo, esponjas, vassouras e rodos. O amigo interessado em ajudar pode entregar os donativos diretamente na sede da Entidade, ou ainda, se preferir, fazer as doações em dinheiro por meio de depósitos bancários (contas abaixo). A protetora Isabel Moura, que é uma das fundadoras e membro da atual diretoria executiva da APIPA, fala um pouco sobre a importância da adoção de animais carentes e o trabalho que a Entidade desenvolve na reabilitação de cães e gatos resgatados em situação de maus-tratos e abandono (vídeo).


Devido à pandemia, as visitas ao abrigo da APIPA sofreram algumas restrições, sendo agora necessário que o visitante faça prévio agendamento por meio do Instagram. Castrar é preciso: apadrinhe uma castração no abrigo da APIPA Guarda Responsável de Animais: assumindo uma vida APIPA registra aumento de 50% nas adoções de animais durante quarentena Ajude a APIPA quitar dívidas pendentes em clínica veterinária

Como ajudar a APIPA

Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos! Ajude! APIPA pede que as doações continuem durante pandemia Pandemia: APIPA sofre com redução de 70% nas DOAÇÕES ao abrigo Faça a sua doação de ração para cães e gatos: Ajude! Falta ração para alimentar mais de 300 animais famintos CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações) CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8 Pix: apipa.bbrasil@gmail.com

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0 Pix: apipa.cef@gmail.com

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4


Com informações do Correio Braziliense

Commentaires


bottom of page