• Apipa

Dicas de saúde para tutor viajar com o pet nas férias

Veterinário destaca os cuidados essenciais que o tutor deve ter ao viajar para curtir as férias com seu amiguinho pet.

Ykro Durte ressalta a importância de levar o pet a um especialista antes de viajar. Ao lado, a cadela Moana curtindo uma praia em Barra Grande. (Fotos: Ykro Duarte)

O tutor que está preparando viajem de férias e pretende levar o pet na aventura, para tirá-lo da rotina e desfrutar de sua companhia, precisa estar ciente dos cuidados essenciais que deve ter com a saúde do bichinho. Para se ter uma viagem tranquila e segura, com relação à saúde do animal, é necessário que se tenha atenção e planejamento. Para pegar algumas dicas acerca deste tema, o blog Bicharada conversou com o médico veterinário Ykro Duarte.


Duarte diz que o ponto de partida para esta organização é estudar com cuidado o destino da aventura. “Litoral, campo, cidades metropolitanas, são vários os destinos e é necessário entender que cada local tem uma incidência de doenças específicas das quais o animal precisa estar protegido”, afirma o especialista.


Prevenção contra doenças do local de destino


Depois de buscar informações sobre a cidade, você precisa vacinar ou tomar outras medidas preventivas contra doenças com alto índice de prevalência no local. Se o destino é o litoral, por exemplo, é importante pensar na dirofilariose, popularmente conhecida como a doença do coração, pois apesar de já estar adentrando o país, justamente pelo aumento de translado de animais, essa é uma doença com maior ocorrência na costa brasileira. Já em lugares como Rio de Janeiro e Recife, a esporotricose ou doença do gato, que pode causar graves úlceras de pele, é uma das grandes preocupações. Ou seja, independente do local, é importante buscar conhecimento e prevenção para evitar que seu pet volte pra casa doente e ainda sendo agente de disseminação.


Vacinas em dia


Segundo o profissional, as principais vacinas são as múltiplas contra virose e bactéria, por estarem diretamente relacionadas a doenças de fácil contaminação e com graves consequências, como sinomose e pavovirose. Além disso, o população de animais abandonados, que mora nas ruas, ajuda na disseminação destas viroses.


“Vacina é uma das ferramentas mais eficazes para prevenir doenças, então é importante saber se o pet está protegido”, diz o veterinário Ykro Duarte.


Para quem vai viajar de avião, há ainda outras providências necessárias. As companhias aéreas exigem a atualização da vacina antirrábica e um laudo assinado por médico veterinário. Sem tais documentos seu pet não embarca.


Farmacinha pet


Ao viajar com o seu amigo pet, é imprescindível ter em mãos alguns itens que vão reforçar os cuidados com a saúde dele. Desta forma, você não será pego de surpresa, caso aconteça algo imprevisto, sobretudo quando o local de destino é desprovido de clínicas e lojas especializadas. Os principais itens são: antipirético (ministrar em caso de dor e febre), carvão ativado (ação imediata em caso de envenenamento ou intoxicação), probiótico (reposição de microbiótico intestinal, em caso de diarreia ou amolecimento das fezes), repositor de eletrólitos (soro próprio para pet), além de spray anticéptico e pomada cicatrizante (agir em cortes ou feridas).


O veterinário destaca que é necessário montar um kit emergencial seguindo a orientação de um médico veterinário que conheça o histórico do seu animal.


Espante os mosquitos e carrapatos


Doenças como a verme do coração, a leishmaniose e a erliquiose são transmitidas por insetos e carrapatos e podem trazer problemas graves para a saúde do seu pet. Daí, fazer uso de protetor contra ectoparasitas, repelentes em formato de coleiras, sprays e pipetas pode trazer ainda mais segurança. “Esse item é tão importante ou mais que o caderno de vacina atualizado, porque o carrapato, por exemplo, é uma praga que transmite muitas doenças”, enfatiza Ykro.


Mantenha a rotina de alimentação


Evite oferecer comidas que não fazem parte do cardápio habitual do animal. É importante dar a alimentação que o pet consome em casa, mantendo a mesma quantidade. Para garantir a conservação, o produto deve ser mantido em recipiente limpo e fechado. Mantenha também os horários e ofereça uma suplementação que contenha prebiótico. Além do estresse da viagem, oferecer algo fora da dieta pode comprometer o trato intestinal e causar vômitos e diarreia.


“Manter o animal saudável é importante, porque barreiras naturais desequilibradas podem favorecer a entrada de muitas doenças. É uma porta de entrada”, reforça Ykro Duarte.


Regras e cuidados para transporte de animais no carro


Vai viajar? Jamais deixe seu pet sozinho


Participe da Vaquinha Virtual para quitar as dívidas da APIPA


Abandono de animais aumenta e APIPA pede ajuda em Teresina


AJUDE os animais carentes do abrigo da APIPA


Para adotar um amiguinho em Teresina, conheça o abrigo de animais carentes da APIPA.


Com informações do Bicharada

APIPA® - ASSOCIAÇÃO PIAUIENSE DE PROTEÇÃO E AMOR AOS ANIMAIS

CNPJ: 10.216.609/0001-56

BANCO DO BRASIL
Ag: 3507-6 / CC: 57615-8

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0

BANCO SANTANDER
Ag: 4326 / CC: 13000087-4

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon

contato.apipa@gmail.com

Rua Trinta e Oito, 1041 - Loteamento Vila Uruguai - Bairro Uruguai (6 quadras após a UNINOVAFAPI)

Teresina, PI - CEP 64073-167

COPYRIGHT © 2018

Site criado pela Pix Marketing Digital

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon