top of page

Crime: cãozinho é assassinado por funcionário de clínica em Maceió

Funcionário flagrado sufocando cachorro durante tosa em Maceió, tem passagem pela polícia por homicídio. O suspeito Davi Silva dos Santos disse ao delegado que estava estressado. Clínica informou que não tinha conhecimento sobre antecedentes criminais do funcionário, que também responde por receptação.

Indefeso, o cãozinho Bento morre enforcado frente à truculência de homem enfurecido. (Imagens: TV Gazeta)

O funcionário de uma clínica veterinária, que matou um cachorrinho enforcado durante uma tosa, em Maceió - AL, já responde por outros crimes na justiça. Segundo a polícia, Davi Silva dos Santos, de 24 anos, tem passagens por homicídio e receptação. Ele foi preso em flagrante nesta quinta-feira (20). Veja reportagem da TV Gazeta (vídeo).



O advogado da clínica É o Bicho, Napoleão Lima Júnior, disse que a direção não tinha conhecimento dos antecedentes criminais do funcionário, que já trabalhava na clínica há cerca de três meses.


"Lamentavelmente, empresas, não têm como a gente verificar antecedentes. Geralmente quando a pessoa trabalha em outra empresa, a gente pede informações, mas a gente não teve identificação nenhuma em relação a isso", explicou o advogado dizendo ainda que foram informados pela polícia sobre os crimes praticados anteriormente por Davi.


A tutora do animal, Maria Eduarda Cavalcante, contou que o cãozinho era dócil, nunca havia mordido ninguém. Ele havia sido deixado no local para tomar banho junto com outro cão tutelado pela família.


"A gente tem outra fêmea. Por volta das 9h30 da manhã ligaram para meu pai retornar à clínica porque havia acontecido um acidente. Quando meu pai chegou lá, disseram que ele tinha tido uma parada", disse ela.


A ocorrência foi atendida pela Polícia Militar. No relato colhido no local pelos militares, ao perceber que o cachorro estava desfalecido após ter sido puxado com violência, o funcionário deixou a sala de tosa e avisou outras pessoas que o animal tinha desmaiado. Uma equipe da clínica levou o cão para ser reanimado, mas ele não resistiu. Somente quando verificaram as imagens do circuito interno de segurança é que percebem que tinha ocorrido um crime no local, então acionaram a polícia.


Ao ser ouvido pelo delegado Leonam Pinheiro, Davi Silva diz que "estava estressado", mas nega ter matado o animal.


"Ele será responsabilizado pelo crime de maus-tratos, que tem uma pena de até cinco anos de reclusão acrescida de um terço quando há o resultado morte, que foi o que infelizmente veio a acontecer", disse o delegado.


O Procon Maceió informou que a clínica também pode ser responsabilizada pelo ocorrido, respondendo por danos materiais e morais, já que tem responsabilidade sobre a segurança do animais.


Nota de esclarecimento da clínica É O Bicho


Nota à comunidade


Em 10 anos de existência, o grupo É O Bicho nunca compactuou com os maus tratos aos animais. Lamentamos profundamente o ato criminoso ocorrido em uma de nossas unidades. O indivíduo responsável por este ato revoltante estava cumprindo período de experiência.


Assim que soubemos do incidente, entramos em contato com as autoridades policiais. Todas as providências estão sendo tomadas e, embora não vá trazer a vítima de volta, prestaremos toda assistência aos tutores.


Somos um hospital veterinário sério e reconhecidos por nossa causa maior: a saúde e o bem-estar animal. Jamais fugiremos às responsabilidades e reestruturaremos todo processo e recrutamento e contratação.


Crime contra animais


Maltratar animais é crime previsto pela Lei Federal 9.605/98 (Lei de Crimes Ambientais). Vale lembrar que uma nova legislação, a Lei Federal 14.064/20, que entrou em vigor em setembro de 2020, aumentou as penas para quem praticar maus-tratos a cães e gatos. A nova norma estabelece punição que vai de 2 a 5 anos de prisão, além de multa e a proibição de guarda de novos pets. Além disso, o rito processual passa à vara criminal, não mais ao juizado especial.


Denunciar maus-tratos em Teresina - PI


DPMA - Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente

Avenida Raul Lopes, ao lado do Parque Potycabana, Zona Leste de Teresina

Telefone (86) 99449-2387


BPA - Batalhão de Policiamento Ambiental

Av. Duque de Caxias, 3520, Primavera II, Zona Norte de Teresina

Telefones (86) 3225-2748 / 3223-7221 / 3225-2684 / 190


DE - Delegacia Eletrônica (online)

Clique no link: dv.pc.pi.gov.br


As denúncias também podem ser feitas em qualquer delegacia de polícia. Denunciar é um ato de cidadania e de solidariedade ao animal vitimado. Faça a sua denúncia. Os animais agradecem!

 




Faça um gesto de amor pelos animais da Apipa


CONTA BANCÁRIA DA APIPA PARA DOAÇÕES CNPJ: 10.216.609/0001-56


Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8 Chave Pix: apipa.bbrasil@gmail.com





Ajude a Apipa - situação de emergência












Produtos APIPA® - Promoção Especial


PROMOÇÃO INCRÍVEL - CAMISAS POR R$ 45


Cadelinha Érica quer ser adotada - ajude realizar a castração.







Solidarize-se com os animais da APIPA

Solidarize-se com os cães e gatos carentes assistidos pela APIPA. O nosso centro de acolhimento está sempre superlotado, operando com o dobro de sua capacidade, sendo necessário que se faça coletas diárias de doações de ração, material de limpeza, medicamentos veterinários e jornais. Um dia de consumo de ração no abrigo equivale a 25 kg para os cães adultos e entre 12 e 15 kg para os gatos, sem contar os filhotes. Para fazer a higienização do abrigo, usamos diariamente 5 litros de desinfetante e 5 litros de detergente, além de muito saco de lixo, esponjas, vassouras e rodos. O amigo interessado em ajudar pode entregar os donativos diretamente na sede da Entidade, ou ainda, se preferir, fazer as doações em dinheiro por meio de depósitos bancários (contas abaixo). A protetora Isabel Moura, que é uma das fundadoras e membro da atual diretoria executiva da APIPA, fala um pouco sobre a importância da adoção de animais carentes e o trabalho que a Entidade desenvolve na reabilitação de cães e gatos resgatados em situação de maus-tratos e abandono (vídeo).


Devido à pandemia, as visitas ao abrigo da APIPA sofreram algumas restrições, sendo agora necessário que o visitante faça prévio agendamento por meio do Instagram.

Como ajudar a APIPA

Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos! Ajude! APIPA pede que as doações continuem durante pandemia Pandemia: APIPA sofre com redução de 70% nas DOAÇÕES ao abrigo Faça a sua doação de ração para cães e gatos: Ajude! Falta ração para alimentar mais de 300 animais famintos CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações) CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8 Pix: apipa.bbrasil@gmail.com

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0 Pix: apipa.cef@gmail.com

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4


Com informações da TV Gazeta

Comentários


bottom of page