• Apipa

Cientistas alertam para 161 maneiras de se evitar uma nova pandemia

Mudar a relação com os animais é a principal e mais urgente medida para impedir que o mundo seja devastado por outros patógenos.

Adotar dieta vegana e reprimir fazendas lotadas são algumas das medidas que reduzem os riscos de nova pandemia. (Foto: Chayakorn lotongkum / istock)

Há poucos meses, o mundo não fazia ideia de que uma pandemia seria capaz de promover tantas mortes. Agora, em meio à crise do novo coronavírus e diante da ameaça de um novo vírus da gripe identificado em porcos na China, é preciso mudar drasticamente alguns hábitos. É o que defendem especialistas da Universidade de Cambridge, que identificaram sete rotas pelas quais uma nova pandemia poderia ocorrer e 161 maneiras de se evitar o risco.


A relação com os animais é o principal e mais urgente ponto de atenção, segundo a equipe formada por 25 especialistas em vida selvagem e veterinária. Eles pedem que as pessoas tornem-se veganas, que se proíba o comércio de animais exóticos e reprima fazendas lotadas.


Caso essas mudanças drásticas não sejam adotadas, será 'apenas uma questão de tempo' antes que outra pandemia varra o mundo.


Ativistas realizam ato pelos Direitos Animais no Congresso Nacional


Banir mercados de animais selvagens não é suficiente


As primeiras infecções do novo coronavírus surgiram em um mercado de frutos do mar em Wuhan, na China, local que comercializava animais vivos por abate sob encomenda. Muitos deles ficavam espremidos em gaiolas minúsculas. Após o início da pandemia, a China proibiu esse tipo de comércio com animais silvestres.


O estudo de Cambrigde apoiou pedidos para proibir esse tipo de mercado, mas alertou que o movimento por si só não seria suficiente.


Proibir mercados de animais silvestres não é suficiente, aponta estudo. (Foto: Caoyu36 / istock)

“Muitas campanhas recentes se concentraram em banir o comércio de animais selvagens, e lidar com esse tipo comércio é realmente importante, mas é apenas uma das muitas rotas possíveis de infecção. Não devemos assumir que a próxima pandemia surgirá da mesma maneira que a Covid-19. Precisamos agir em uma escala mais ampla para reduzir o risco”, disse o professor William Sutherland no Departamento de Zoologia da Universidade de Cambridge, que liderou a pesquisa.


Algumas das maneiras de reduzir o risco de outra pandemia são relativamente simples, como incentivar pequenos agricultores a manter galinhas ou patos afastados das pessoas, melhorar a biossegurança e introduzir padrões veterinários e de higiene adequados para animais de criação em todo o mundo, medidas que exigirão investimentos financeiros significativos em escala global.


Relatório da ONU: mundo continuará experimentando surtos zoonóticos


Como evitar uma nova pandemia


As descobertas do estudo foram geradas por um método chamado Solution Scanning, que usa uma ampla variedade de fontes para identificar uma variedade de opções para um determinado problema.


Destacamos abaixo algumas das 161 medidas que ajudariam a reduzir o risco de uma nova pandemia:

  • aumentar a mudança para alimentos à base de plantas para reduzir o consumo e a demanda por produtos de origem animal;

  • leis para impedir o contato de diferentes animais selvagens ou de animais selvagens e domésticos durante o transporte e nos mercados;

  • separar áreas de pastagem das áreas de rega ou usando cercas para aumentar a biossegurança de animais de criação;

  • melhorar a saúde animal nas fazendas, limitando as densidades de estocagem e garantindo altos padrões de atendimento veterinário;

  • aumentar a eficiência das patrulhas para detectar e impedir a caça, a coleta ou a perturbação de espécies selvagens;

  • promover o desenvolvimento e a comercialização de alternativas sintéticas (por exemplo, peles sintéticas, couro ou carne criada em laboratório);

  • lidar com redes criminosas mais amplas envolvidas no comércio ilegal de animais silvestres, incluindo o fortalecimento da mídia, a redução da corrupção e o julgamento de funcionários corruptos, além de recompensar e proteger os denunciantes.


O relatório com todas 161 recomendações está disponível online para download aqui (idioma inglês).


Fim do comércio de animais silvestres pode evitar próxima pandemia


China: mais um vírus que pode gerar pandemia no planeta

Os porcos são os hospedeiros, mas seres humanos podem ser infectados


Quando a gente acha que já está vivendo um pesadelo com a pandemia do novo coronavírus, vem a vida e dá mais um susto na gente. Agora, uma nova cepa do vírus da gripe com potencial de causar uma pandemia foi identificada na China.


Um recente estudo de tal linhagem do vírus influenza, que causa a gripe, surgiu recentemente e mostra que ele tem os porcos como hospedeiros. Apesar disso, o vírus pode infectar também os seres humanos.


De acordo com a BBC, cientistas estão preocupados com o fato de que a cepa poderia sofrer uma mutação ainda maior e se espalhar de pessoa para pessoa, desencadeando um surto global.


Eles dizem que a cepa tem 'todas as características' de ser altamente adaptável para infectar seres humanos.


O vírus, chamado G4 EA H1N1, pode crescer e se multiplicar nas células que revestem as vias aéreas humanas. Eles descobriram evidências de infecção em pessoas que trabalhavam em matadouros e na indústria suína na China.


As vacinas contra a gripe atuais não parecem proteger contra isso. Vale lembrar que a última gripe pandêmica ocorreu em 2009, com o surto de gripe suína, que começou no México. O vírus da gripe suína, chamado A/H1N1pdm09, agora é combatido pela vacina contra a gripe, aplicada anualmente.


Assista ao vídeo / Catraca Livre


Guarda Responsável de Animais: assumindo uma vida


Pandemia: APIPA suspende temporariamente adoções e visitas


Ajude a APIPA quitar dívidas pendentes em clínica veterinária


Como ajudar a APIPA


Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos!


Ajude! APIPA pede que as doações continuem durante pandemia


Pandemia: APIPA sofre com redução de 70% nas DOAÇÕES ao abrigo


Faça a sua doação de ração para cães e gatos:

Ajude! Falta ração para alimentar mais de 300 animais famintos


CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações)


CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4


Abandono de animais aumenta e APIPA pede ajuda em Teresina


AJUDE os animais carentes do abrigo da APIPA


Com informações do Catraca Livre

APIPA® - ASSOCIAÇÃO PIAUIENSE DE PROTEÇÃO E AMOR AOS ANIMAIS

CNPJ: 10.216.609/0001-56

BANCO DO BRASIL
Ag: 3507-6 / CC: 57615-8

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0

BANCO SANTANDER
Ag: 4326 / CC: 13000087-4

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon

contato.apipa@gmail.com

Rua Trinta e Oito, 1041 - Loteamento Vila Uruguai - Bairro Uruguai (6 quadras após a UNINOVAFAPI)

Teresina, PI - CEP 64073-167

COPYRIGHT © 2018

Site criado pela Pix Marketing Digital

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon