top of page

Carnivac-Cov: primeira vacina contra Covid-19 para animais de estimação

Rússia anuncia a primeira vacina do mundo contra Covid-19 para pets. O imunizante 'Carnivac-Cov' promete ter eficácia de 100%, além de prevenir mutações do vírus Sars-CoV-2, e já começa a ser produzido em abril, segundo comunicado da agência reguladora russa, Rosselkhoznadzor.

A vacina russa é uma resposta à preocupação da Organização Mundial da Saúde (OMS) com a transmissão do vírus entre humanos e animais. Com o imunizante Carnivac-Cov, as espécies mais vulneráveis e de maior contato com o ser humano, como cães e gatos, poderão ser protegidas e impedir novas variantes provenientes das mutações do coronavírus em animais. (Foto: Divulgação / Vetandlife)

A Rússia foi o primeiro país a aprovar uma vacina contra a Covid-19 para animais de estimação, segundo anúncio feito nesta quarta-feira (31), pelo Serviço Federal de Supervisão Veterinária e Fitossanitária (Rosselkhoznadzor). O imunizante, chamado Carnivac-Cov, promete ter eficácia de 100% e passou por testes clínicos com gatos, cães, visons, coelhos, entre outros animais.


A produção da vacina para pets está prevista já para o mês de abril, conforme conta em comunicado o vice-chefe da agência reguladora russa, Konstantin Savenkov. “Já em abril, a produção em massa da vacina poderá ser lançada com base na maior plataforma do país para a produção de medicamentos para animais do Centro Federal de Saúde Animal”, informa.


Os testes clínicos da Carnivac-Cov começaram a serem feitos em outubro do ano passado e mostraram que a “vacina é inofensiva e de alta atividade imunogênica, uma vez que todos os animais vacinados, em 100% dos casos, desenvolveram anticorpos contra o coronavírus”, completa Savenkov.


A Carnivac-Cov demonstrou resposta imunológica que dura por pelo menos seis meses. Estudos para aprofundar a avaliação da eficácia do imunizante a longo prazo ainda estão sendo conduzidos.


A expectativa dos cientistas que a desenvolveram é que a vacina para animais possa prevenir mutações do vírus da Covid-19, o Sars-CoV-2. O produto foi feito por profissionais da filial da agência reguladora, o Centro Federal de Saúde Animal.


De acordo com a agência russa, foram detectados dois casos de Covid-19 em gatos na Rússia até agora – um em Moscou e outro em Tyumen, na Sibéria. Vale lembrar que os animais domésticos infectados não transmitem a doença para seres humanos.


Isso tem a ver com o fato dos bichos raramente contraírem o Sars-CoV-2, uma vez que os animais são infectados somente ao terem contato com uma grande quantidade do agente infeccioso.


O coronavírus tem uma chave perfeita, a proteína spike, que permite a entrada dele em células humanas. Quando ele infecta os animais, é porque algumas fotocópias virais tiveram outras chaves para se encaixar com as células desses bichos.


Porém, como uma célula canina ou felina é muito diferente de uma célula humana, o vírus que consegue entrar não sobrevive a longo prazo. Portanto, os pets são hospedeiros raros e terminais para o agente infeccioso.


Ainda assim, alguns casos recentes preocuparam as autoridades internacionais. A Dinamarca, por exemplo, decidiu sacrificar 17 milhões de visons explorados pela indústria de peles, após uma suspeita de que os animais fossem portadores e vetores de uma mutação que poderia ser problemática com alto potencial de letalidade para os seres humanos.


Além disso, o anúncio da vacina russa ocorreu depois que a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou em comunicado, nesta segunda-feira (29), que é 'muito provável' que a Covid-19 saltou de morcegos para humanos através de um animal hospedeiro intermediário ainda desconhecido.



Solidarize-se com os animais da APIPA

Solidarize-se com os cães e gatos carentes assistidos pela APIPA. O nosso centro de acolhimento está sempre superlotado, operando com o dobro de sua capacidade, sendo necessário que se faça coletas diárias de doações de ração, material de limpeza, medicamentos veterinários e jornais. Um dia de consumo de ração no abrigo equivale a 25 kg para os cães adultos e entre 12 e 15 kg para os gatos, sem contar os filhotes. Para fazer a higienização do abrigo, usamos diariamente 5 litros de desinfetante e 5 litros de detergente, além de muito saco de lixo, esponjas, vassouras e rodos. O amigo interessado em ajudar pode entregar os donativos diretamente na sede da Entidade, ou ainda, se preferir, fazer as doações em dinheiro por meio de depósitos bancários (contas abaixo).


Venha ajudar a APIPA! Falta RAÇÃO e demais itens básicos para manutenção do abrigo A protetora Isabel Moura, que é uma das fundadoras e membro da atual diretoria executiva da APIPA, fala um pouco sobre a importância da adoção de animais carentes e o trabalho que a Entidade desenvolve na reabilitação de cães e gatos resgatados em situação de maus-tratos e abandono (vídeo).


Devido à pandemia, as visitas ao abrigo da APIPA sofreram algumas restrições, sendo agora necessário que o visitante faça prévio agendamento por meio do Instagram.

Como ajudar a APIPA

Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos! Ajude! APIPA pede que as doações continuem durante pandemia Pandemia: APIPA sofre com redução de 70% nas DOAÇÕES ao abrigo Faça a sua doação de ração para cães e gatos: Ajude! Falta ração para alimentar mais de 300 animais famintos CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações) CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8 Pix: apipa.bbrasil@gmail.com

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0 Pix: apipa.cef@gmail.com

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4


Com informações do Galileu

コメント


bottom of page