• Apipa

Cães e gatos necessitam de alimentação adequada à idade e ao porte

Atualizado: Mar 3

Você precisa oferecer o alimento correto para cada fase da vida do seu pet. Ração incompatível com o perfil do animal pode acarretar alguns problemas. Confira as dicas da veterinária Ana Carolina Moreci.

Animais precisam receber alimentação adequada ao seu perfil. Rações das linhas Premium e Super Premium possuem ingredientes de qualidade superior. Troca da ração deve ser feita de forma lenta e gradual. A veterinária Ana Carolina Moreci dá dicas de como escolher o alimento ideal para o pet. (Fotos: Pixabay / Special Dog)

Para terem uma vida saudável e cheia de energia, os animais precisam de uma alimentação adequada. Por isso, além de manter as tigelas dos pets limpas, é importante que os tutores estejam atentos à idade, raça e porte do cão ou gato na hora de escolher o alimento, seja ele seco ou úmido.


O alimento ideal para os pets é aquele que é completo e balanceado, provendo todos os nutrientes que eles precisam em cada fase da vida e considerando suas condições fisiológicas. Animais castrados, por exemplo, precisam alimentar-se de rações específicas.


A médica veterinária Ana Carolina Moreci, da Special Dog, explica que, diante das inúmeras opções de rações nas prateleiras das lojas, os tutores devem observar no rótulo do produto informações como níveis de garantia, ingredientes, recomendação de idade/porte e, principalmente, o consumo diário, evitando possíveis problemas como desnutrição ou sobrepeso.


"Alimentos para cães de porte pequeno, por exemplo, possuem o tamanho do grão adaptado para eles, e é importante que esses animais consigam mastigar o alimento para melhor aproveitamento dos nutrientes. Se não for oferecido o alimento correto para cada fase da vida do animal, isso pode acarretar problemas de sobrepeso, obesidade, entre outras situações", afirma a veterinária.


Quanto ao sabor, Ana Carolina diz que pode ser escolhido de acordo com a preferência do animal. "Alguns animais gostam de sabores variados. Pensando nisso, pode-se alternar os sabores. Já outros animais preferem sempre o mesmo sabor", ressalta a veterinária.


Ainda segundo ela, as rações linha Standard possuem ingredientes de baixa digestibilidade e geralmente o consumo diário do alimento é alto, exigindo que o animal coma uma quantidade elevada para suprir suas necessidades nutricionais. Em contrapartida, têm custo mais baixo que as demais. Já as linhas Premium e Super Premium possuem ingredientes de qualidade superior, proporcionando melhor aproveitamento pelo animal. O custo dessas rações é mais elevado, porém costumam render mais, já que o consumo diário é menor.


"Rações de baixa qualidade podem não oferecer todos os nutrientes que o animal necessita, podendo causar um desbalanço vitamínico, mineral e predispor o animal a doenças. Por isso, a recomendação é escolher alimentos que contenham ingredientes de qualidade e sejam formulados corretamente para cada fase da vida do animal", enfatiza.


Filhote, adulto ou idoso?


Conforme explicado pela veterinária, é fundamental que seja oferecida ao pet uma ração adequada à fase da vida do animal. Mas quando um animal atinge a idade adulta? E a partir de quantos anos ele se torna idoso?


Conforme explicou Ana Carolina, os cães de porte pequeno (até 10 kg), os cães de porte médio (de 11 a 24 kg) e os gatos são considerados adultos a partir de 12 meses. Já os cães de porte grande (acima de 25 kg) são considerados adultos a partir de 18 meses. Cães e gatos são considerados idosos a partir de 7 anos de idade.


Troca de ração


Ana Carolina orienta que toda transição de alimento deve ser feita de forma lenta e gradual. A troca de forma brusca pode causar algum tipo de reação, como diarreia e vômito, por exemplo. "O ideal é que essa troca dure aproximadamente 7 dias, diminuindo a quantidade do alimento atual e inserindo o novo alimento aos poucos, até que a quantidade do novo alimento atinja 100%."


Fornecendo a quantidade certa de alimento e escolhendo os produtos ideais para cada fase da vida, o animal terá qualidade de vida e longevidade. "Oferecendo todos os nutrientes que o animal precisa, ele crescerá forte e saudável", conclui.


Como ajudar a APIPA


Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos!


CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações)


CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4


Abandono de animais aumenta e APIPA pede ajuda em Teresina


AJUDE os animais carentes do abrigo da APIPA


Para adotar um amiguinho em Teresina, conheça o abrigo de animais carentes da APIPA.


Com informações da TV TEM


APIPA® - ASSOCIAÇÃO PIAUIENSE DE PROTEÇÃO E AMOR AOS ANIMAIS

CNPJ: 10.216.609/0001-56

BANCO DO BRASIL
Ag: 3507-6 / CC: 57615-8

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0

BANCO SANTANDER
Ag: 4326 / CC: 13000087-4

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon

contato.apipa@gmail.com

Rua Trinta e Oito, 1041 - Loteamento Vila Uruguai - Bairro Uruguai (6 quadras após a UNINOVAFAPI)

Teresina, PI - CEP 64073-167

COPYRIGHT © 2018

Site criado pela Pix Marketing Digital

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon