• Apipa

Barbárie: cachorro é amarrado em carro e arrastado até a morte no ES

Homem perverso amarra cachorrinho no carro e o arrasta até a morte. Este assassino frio, chamado de Manoel Batista dos Santos Júnior foi autuado em flagrante por maus-tratos aos animais, ficando agora sob custódia do sistema prisional capixaba.

O assassino Manoel Batista dos Santos Júnior, responsável por esta barbárie, confessou o crime à polícia e ainda tentou justificar sua ação perversa dizendo que o animal parecia estar doente e com fome. (Imagens: Folha Vitória / TV Norte)

O motorista de um carro flagrado por câmeras de videomonitoramento arrastando um cachorro até a morte, em Jaguaré, no Norte do Estado do Espírito Santo, prestou depoimento à Polícia Civil, nesta terça-feira (13), e explicou o motivo que o levou a cometer tal ato nefasto. De acordo com o chefe da 18ª Delegacia Regional de São Mateus, delegado Leonardo Malacarne, o homem, de 32 anos, alegou que sua intenção era sacrificar o cachorro, já que, segundo o suspeito, o animal aparentava estar doente e com fome (vídeo com as imagens abaixo).



Ainda de acordo com o delegado, Manoel Batista dos Santos Júnior, como é chamado este ser desprezível, contou que encontrou o cachorro na rua e resolveu sacrificá-lo, amarrando-o em seu carro. Para isso, ele usou uma corda de varal que guardava no veículo.


O crime foi registrado por câmeras de segurança de um condomínio localizado no centro de Jaguaré. As imagens mostram o veículo do suspeito passando pela rua arrastando o cão, amarrado à traseira do carro. O animal tenta correr, mas não consegue acompanhar a velocidade do veículo.


Cerca de meia hora depois, outro vídeo mostra o cachorro já morto. O motorista desce, pula por cima do animal e corta a corda que o prendia. Em seguida, entra no veículo e vai embora. Ele ainda volta para verificar se o animal está morto. Confira vídeo com a reportagem, abaixo.



O caso foi denunciado por Suely Izabel Dalvi, presidente de uma ONG que resgata animais abandonados. Ela recebeu as imagens de videomonitoramento pelas redes sociais, na noite de segunda-feira (12), logo depois do crime.


Suely conta que ficou chocada e revoltada com a cena. "Em pleno feriado do Dia das Crianças e de Nossa Senhora Aparecida foi flagrada pelas câmeras de segurança de uma residência no centro de Jaguaré essa barbaridade. É uma crueldade do ser humano. Imagine o que esse cachorro não passou, sendo enforcado, arrastado vivo. Então que sirva de exemplo para as outras pessoas terem um cuidado maior e respeitar os animais da forma que eles merecem ser respeitados", lamentou.


A presidente da ONG conta que o animal vivia na rua e era conhecido na cidade. Disse ainda que ele recebia água e comida de moradores e comerciantes. "O animal é um ser inocente, não tem maldade. Eu não sei o porquê, o que motivou ele a fazer esse crime. Então ele tem que responder sim", afirmou.


Na manhã desta terça-feira, enquanto Suely fazia o boletim de ocorrência, o suspeito, que estava na casa de amigos em Jaguaré, passando o feriado, apareceu na delegacia procurando ajuda. Ele acabou detido. "A população esvaziou os pneus do carro dele para ele não fugir. Por medo de ser linchado ou apanhar, ele procurou ajuda e acabou parando na delegacia", disse a presidente da ONG.


Vigência da nova lei: primeira prisão por maus-tratos a animais no Piauí


O suspeito foi encaminhado para a Delegacia Regional de São Mateus, onde foi autuado pelo crime de maus-tratos aos animais. Como a pena é de 2 a 5 anos de reclusão, não cabe fiança.


Até o mês passado, a pena por maltratar cães e gatos era mais branda, o suspeito assinava um termo circunstanciado e era liberado. No entanto, no dia 30 de setembro, a Lei de Crimes Ambientais sofreu uma importante alteração. "Agora, sendo a pena de 2 a 5 anos de reclusão, a pessoa pode ficar presa. Antigamente a lei era de 3 meses a 1 ano de detenção", explicou o advogado criminalista André Rocha.


Segundo a Polícia Civil, o homem foi preso em flagrante e passará por uma audiência de custódia no Centro de Detenção Provisória. A produção do Folha Vitória tentou, mas não conseguiu fazer contato com a defesa do suspeito.


Guarda Responsável de Animais: assumindo uma vida


APIPA registra aumento de 50% nas adoções de animais durante quarentena


Ajude a APIPA quitar dívidas pendentes em clínica veterinária


Como ajudar a APIPA


Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos!


Ajude! APIPA pede que as doações continuem durante pandemia

Pandemia: APIPA sofre com redução de 70% nas DOAÇÕES ao abrigo


Faça a sua doação de ração para cães e gatos:

Ajude! Falta ração para alimentar mais de 300 animais famintos


CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações)


CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4


Abandono de animais aumenta e APIPA pede ajuda em Teresina


AJUDE os animais carentes do abrigo da APIPA


Com informações do Folha Vitória

APIPA® - ASSOCIAÇÃO PIAUIENSE DE PROTEÇÃO E AMOR AOS ANIMAIS

CNPJ: 10.216.609/0001-56

BANCO DO BRASIL
Ag: 3507-6 / CC: 57615-8

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0

BANCO SANTANDER
Ag: 4326 / CC: 13000087-4

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon

contato.apipa@gmail.com

Rua Trinta e Oito, 1041 - Loteamento Vila Uruguai - Bairro Uruguai (6 quadras após a UNINOVAFAPI)

Teresina, PI - CEP 64073-167

COPYRIGHT © 2018

Site criado pela Pix Marketing Digital

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon