• Apipa

APIPA repudia ações violentas do CCZ na captura de cães em Teresina

Atualizado: Fev 4

A APIPA lamenta e repudia os deploráveis atos de violência e covardia praticados por agentes do CCZ de Teresina contra indefesos cachorros abandonados.

CCZ de Teresina tortura cachorros em ação truculenta de captura. (Imagens: Divulgação / 180graus)

As cenas brutais de pura covardia e de violência praticadas por agentes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Teresina, na manhã desta quinta-feira (28), em operação de captura de quatro indefesos cachorrinhos abandonados que estavam em frente à Almaviva, empresa localizada na Zona Sudeste da cidade, têm chocado e revoltado não só os ativistas e protetores de animais, mas também a todas as pessoas que tiveram o desprazer de assistir aos vídeos que circulam nas redes sociais, mostrando as ações condenáveis deste órgão municipal, que vêm revelar, mais uma vez, o seu descaso e despreparo no que concerne às questões que envolvem a problemática dos animais de estimação no município.


A encenação dos atos nefastos de barbárie e horror praticados contra os inocentes se apresenta a uma plateia que se indignou com aquilo que viu e que clamou por misericórdia ao presenciar tamanha truculência e brutalidade. Na ação grotesca, os quatro cãezinhos foram amarrados com cordas que lhes apertavam a boca e o pescoço, sendo então arrastados sobre o asfalto. Um dos animais não resiste à terrível situação de estresse, chegando a urinar e defecar ao passo que sofria as agressões, enquanto se via o sangue a escorrer da boca do outro cachorro, que também lutava para não morrer sufocado. Foi assim, em meio a um espetáculo medieval, em que inocentes foram submetidos a uma sessão cruel de tortura, que o Centro de Controle de Zoonoses de Teresina fez a captura e apreensão dos indefesos cachorrinhos abandonados.


Neste momento de comoção social, em face do sofrimento vivenciado pelos quatro cachorrinhos, a APIPA (Associação Piauiense de Proteção aos Animais) vem a público manifestar o seu pesar e repudiar, de forma veemente, as ações nefastas deste órgão municipal, que deveria, em tese, buscar desenvolver políticas públicas visando o bem-estar dos animais, e jamais passar este péssimo exemplo à sociedade. Enquanto as ONGs, protetores independente e ativistas da causa animal lutam por melhores condições de vida para os animais, tentando minimizar o sofrimento destes inocentes, um órgão governamental, CCZ de Teresina, vem prestar este enorme desserviço, contribuindo ainda mais para o aumento da crueldade que é praticada cotidianamente contra os animais. Lamentável!


Outro fator lastimável, que serviu de base para desencadear este acontecimento sombrio, também ação condenável que merece o nosso repúdio, foi a atitude da empresa Almaviva em querer livrar-se da presença dos pobres animais da forma mais vil e desprezível, pois jamais pensou na consequência da maldade que estava praticando contra os entes indefesos. Esta forma perversa de agir revela-nos o caráter retrógrado e medíocre desta empresa.


Nós, da APIPA, agradecemos a todas as pessoas de bom coração que se sensibilizaram com a situação dos animais, oferecendo sua atenção, seu protesto e compaixão em solidadriedade a estes inocentes vitimados pela crueldade de humanos imbecilizados.


Assista ao vídeo / TV Clube


Entenda o caso: cães torturados pelo CCZ de Teresina


Ativistas e entidades de proteção aos animais têm denunciado, por meio das redes sociais, nesta quinta-feira (28), a ação violenta de funcionários do Centro de Zoonoses de Teresina durante o recolhimento de animais e apontam que houve maus-tratos.


Os vídeos que circularam pelo WhatsApp foram gravados em frente à empresa Almaviva, que acionou o Centro de Zoonoses para a captura de quatro cachorros, dois aparecem nas gravações (vídeo abaixo). É possível ver que os funcionários usam cordas para prender os animais. Quando oferecem resistência, os cães são então arrastados de forma truculenta pelos funcionários do Órgão. Estressados, sentindo dores e com medo, por conta da ação violenta, um dos bichos chega a urinar e defecar, enquanto outro sangrava pela boca.


Assista ao vídeo / TV Cidade Verde


“Estamos tristes e revoltados com tamanha crueldade”, declarou a Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais (APIPA). Em seu perfil oficial, a ONG publicou que as imagens mostram “nitidamente os atos de violência contra os animais”.


O que diz O CCZ - Centro de Controle de Zoonoses


Diante da repercussão, a Gerência de Zoonoses de Teresina divulgou nota informando que recebeu ofício de uma empresa, a Almaviva, “denunciando que os animais estavam soltos na porta do estabelecimento, agredindo pessoas e funcionários, o que motivou o atendimento”.


“Durante a ação, houve tumulto, ocasionando estresse nos animais e dificultando a captura”, segue a nota. A gerência diz ainda que os animais se encontram no canil aguardando o prazo de 72 horas, previsto pelo código sanitário, para que os possíveis tutores possam buscá-los. “Após este prazo, caso os tutores não apareçam os animais serão encaminhados para adoção”, conclui.


Assista ao vídeo / TV Cidade Verde


Vale ressaltar, entretanto, que a versão apresentada pela empresa Almaviva, de que os animais estariam 'agredindo pessoas e funcionários', é rebatida pelos comerciantes estabelecidos na área e pelas pessoas que conhecem os animais, que afirmaram que os cachorros são dóceis, saudáveis e bem alimentados.


Tentativa de resgate


Ativistas e protetores integrantes da ONG 'Quatro Mãos & Quatro Patas' registraram Boletim de Ocorrência na Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e tentaram retirar os animais do Centro de Zoonoses de Teresina, mas foram informados que teriam de aguardar o fim do prazo previsto, que é de 72 horas. E chegaram a pedir a ajuda de uma assessoria jurídica para garantir a liberação dos cães.


Protetores registram Boletim de Ocorrência. (Foto: Quatro Mãos & Quatro Patas)

“A gente tentou todos os acordos possíveis para resgatar os animais, para levar para uma clínica, mas não houve acordo de jeito nenhum, mesmo sabendo que a gente pode levar e adotar o cachorro”, disse Victor Linhares, da iniciativa 'Quatro Mãos & Quatro Patas' (vídeo).


Assista ao vídeo / Quatro Mãos & Quatro Patas


Há ainda a preocupação dos ativistas em garantir que a estadia dos animais no CCZ seja adequada, com água e alimentação.


"Nós tivemos conhecimento do caso por meio da repercussão do vídeo nas redes sociais. Os cachorros são conhecidos dos moradores e comerciantes. Eles são dóceis e cuidados. As imagens são super fortes. Eles inclusive chegaram a fazer xixi e coco. Quando os cachorros fazem isso é porque estão sentindo dor, e não medo. Não era para eles serem arrastados e enforcados”, destaca Jane Haddad, da APIPA.


A estudante Natana Martins, do grupo Protetores de Patinhas, que também acompanha o registro da ocorrência, relatou que, em conversa com testemunhas oculares, os animais não eram abandonados, inclusive um deles possui tutor mas ainda assim todos foram levados pelo CCZ.


A Comissão de Defesa dos Animais da OAB-PI também acompanha os protetores na delegacia. “Nós queremos dar esse apoio jurídico e também investigar essa denúncia de maus-tratos”, comentou a vice-presidente da comissão, a advogada Larissa Marques.


Moradores e trabalhadores da região também estão prestando queixa por conta da ocorrência.


A servidora pública Iranildes Sipalba presenciou a cena e gravou o resgate. Ela disse que antes de iniciar a gravação ela pediu que a equipe tivesse mais cuidado com os animais. "Eu nem chamo de resgate. Foi uma truculência. Uma violência. Não tinha um equipamento de proteção, não tinha uma coleira, focinheira. Eles precisam trabalhar adequadamente e não do jeito como fizeram. Eu ficava pedindo pra terem cuidado, e nada", relatou.


A equipe da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente informou que a delegada responsável pelo caso irá se pronunciar após ouvir todas as partes. Nesta quinta, prestaram depoimento a parte denunciante. A Zoonose deverá ser intimada nas primeiras horas desta sexta-feira (29) para prestar esclarecimentos.


Políticas públicas


O ocorrido levantou o debate sobre a situação de milhares de animais de rua que hoje vivem na capital, vítimas do abandono e do descaso do poder público. Para a APIPA, é urgente a demanda por políticas públicas voltadas para o controle e cuidado destes animais. “Centro de castração, de adoção e hospitais veterinários públicos para atender a demanda da cidade que só cresce”, diz a ONG.


E ressalta ainda que a conscientização de tutores e da população em geral é parte importante neste processo. “Precisamos também alertar a população, animal não é descartável, isso é o que acontece quando se abandona”, enfatiza.


Com informações do 180graus e Cidadeverde.com

APIPA® - ASSOCIAÇÃO PIAUIENSE DE PROTEÇÃO E AMOR AOS ANIMAIS

CNPJ: 10.216.609/0001-56

BANCO DO BRASIL
Ag: 3507-6 / CC: 57615-8

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0

BANCO SANTANDER
Ag: 4326 / CC: 13000087-4

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon

contato.apipa@gmail.com

Rua Trinta e Oito, 1041 - Loteamento Vila Uruguai - Bairro Uruguai (6 quadras após a UNINOVAFAPI)

Teresina, PI - CEP 64073-167

COPYRIGHT © 2018

Site criado pela Pix Marketing Digital

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon