• Apipa

Agentes mais comuns causadores da dermatite em cães

Atualizado: 20 de Dez de 2020

Bastante comum e incômoda, a dermatite em cães pode ter causas e tratamentos variados. Doença pode ser desencadeada por agentes que você pode ter em casa.

Quem é tutor de um cão que já sofreu com dermatite canina sabe os incômodos que vem com a doença. É bastante comum nos cães, mas existem muitas formas de prevenção e cura. (Foto: Portal Vira-latas)

Os problemas de pele e a dermatite em cães estão entre os principais e mais comuns problemas na vida de pets caninos. Podendo ser causada por diferentes fatores e desencadear consequências de gravidades variadas, esse tipo de alergia que causa bastante irritação e incômodo na vida dos cachorros, felizmente, também tem muitas formas de prevenção e cura.


Entre os diversos tipos de dermatite em cães há alguns mais conhecidos e frequentes, incluindo nomes populares como a sarna, a micose, a escabiose, a dermafitose e a dermatite alérgica, sendo que cada uma delas apresenta características variadas, tendo as complicações na pele como sintoma em comum.


Em alguns casos, as mesmas alergias que acometem os cachorros também podem ser transmitidas para os seres humanos (além de outros cães) e, por isso, é de extrema importância que os tutores de pets saibam reconhecer o problema, podendo, assim, evitar a contaminação de todos os que habitam um lar.


Assim como no caso de outras doenças que afetam os cães, há algumas raças específicas que têm uma predisposição maior para contrair a dermatite canina, e esse grupo inclui os Boxer, Poodle, Pug, Lhasa Apso, Golden Retriever, Schnauzers, Bulldogs, Shar Pei, Dálmata, Beagle, Pastor Belga, Pastor Alemão, Shi-Tzu e Labrador, entre outros. Ainda inclui algumas variações dos cachorros Terrier, como Scotch Terrier, Boston Terrier e West Highland White Terrier.


Por ter diferentes agentes causadores, a dermatite canina terá seu tratamento definido de acordo com o fator que a desencadeou, sendo, na grande maioria das vezes, um processo simples e sem muitas complicações ou demora para a cura completa. Conheça, abaixo, um pouco mais sobre os tipos dessa doença e de que formas elas podem afetar a vida dos seus bichinhos de estimação.


Perigos do uso de anticoncepcionais em cães e gatos


Os causadores da dermatite canina


Podendo se manifestar em cães de todos os tipos de raça e em qualquer momento de suas vidas, a dermatite dos cachorros tem os mais variados fatores como possíveis desencadeadores, incluindo facilitadores que vão desde a picada de pulgas e o contato com produtos químicos até problemas hormonais e questões psicológicas do cachorro (que pode desenvolver algum tipo de problema de pele em função de um estado depressivo ou de estresse).


Em cães filhotes, a maioria dos episódios de dermatite se dá devido a fungos, tendo como manifestações comuns as micoses, pois se aproveitam do estado de baixa resistência do animal. Outro grande causador de dermatite em filhotes são as pulgas, sendo que este agente específico também pode provocar alergias na pele de cachorros de qualquer idade. O uso de coleiras antipulgas é o principal meio de prevenir este tipo de problema, no entanto, há casos em que esta solução pode ser, também, a causa de novas complicações.


Ao mesmo tempo em que as famosas coleiras contra pulgas podem resolver as alergias de alguns pets, elas podem, também, causar a dermatite nos cachorros pelo seu contato com a pele do animal em função dos produtos químicos que possui. Outros agentes principais da dermatite em cães são:

  • detergentes;

  • soluções usadas para a limpeza de ambientes;

  • ácidos;

  • sabonetes;

  • solventes;

  • produtos feitos à base de petróleo;

  • inseticidas;

  • corantes;

  • fibras sintéticas;

  • borracha;

  • plásticos;

  • pólen;

  • perfume;

  • cigarros;

  • conservantes em geral.


Ajude! Cadelinha doente é resgatada e submetida a cirurgia


Em casos mais raros, até mesmo os shampoos para cachorros podem contar com algum elemento que provoque alergias no animal, além de alguns tipos de alimento também.


Com isso em mente, vale a pena levar seu pet a uma consulta com o veterinário para descobrir a que tipo de produtos ele pode ter alergia. Adquirir alimentos desenvolvidos especialmente para os cães alérgicos também é indicado, já que muitas das comidas para humanos que são dadas como agrados aos animais podem causar problemas.


Fatores hormonais também podem estar no grupo de agentes causadores de alergias caninas, e podem tanto estar relacionados a alterações específicas (como no caso do Hipotireoidismo ou hiperadrenocorticismo) quanto ao uso de medicamentos que causam reações adversas como, no caso de algumas das substâncias (não recomendadas) que as cadelas recebem para evitar o cio.


Outra causa de alergia em cães pode ser relacionada ao estado psicológico do animal. No caso da dermatite por lambedura, o animal desenvolve o problema por passar muito tempo lambendo a mesma área do seu corpo: ato que, em algum tempo, começa a causar lesões e feridas difíceis de tratar.


Esse tipo de comportamento por parte do animal acontece, normalmente, em casos em que o pet passa muito tempo sozinho ou em famílias que ganham novos membros. O cão, solitário e sentindo-se negligenciado, acaba desenvolvendo um quadro de depressão e estresse, que acaba por desencadear as lambidas e causar a chamada Dermatite Psicogênica – que aparece, principalmente, nas patas do animal (por ser um local de fácil acesso).


Fatores genéticos também podem influenciar no aparecimento de alergias de pele em cães e, conforme citadas na introdução do artigo, algumas raças contam com uma predisposição maior para contrair a dermatite que, nestes casos, tem origem hereditária.


Manter seu pet bem seco após banhos é um fator importante para ajudar na prevenção, pois, cachorros que passam muito tempo com a pelagem úmida e sem a ventilação adequada também podem desenvolver dermatites.


Embora todos estes fatores mais incomuns possam ter ligação com a dermatite canina, são os ácaros, bolores, poeiras, parasitas, bactérias e fungos os maiores causadores de doenças na pele de animais. Junto com isso há, ainda, a dermatite atópica, que não tem uma razão específica de ser e não tem cura, podendo apenas ser tratada e controlada para que o animal sofra o menos possível com as frequentes crises de alergia.


Cães idosos precisam de cuidados especiais


Sintomas de alergia em cães


A coceira é o principal sintoma e maior indicativo de que algum problema de pele pode estar começando a se manifestar no seu cãozinho, portanto, ao primeiro sinal de coceiras, fique atento! Além desse, outros sinais como o aparecimento de feridas, lesões e a queda de pelo em regiões definidas também podem indicar a presença de uma dermatite nos cachorros.


Lambidas constantes em uma área determinada – e, em alguns casos, até mesmo mordidas nestes locais – também podem ser um indício de que seu cão começa a sentir as consequências de uma alergia de pele. Olhos com secreção, grande perda de pelos, infecções constantes no ouvido e a pele coberta por crostas e machucados também fazem parte do grupo de sintomas das dermatites caninas.


Ao reconhecer alguns desses sinais em seu pet, a providência ideal a ser tomada é a consulta com um médico veterinário, pois, somente um profissional poderá indicar o tratamento adequado e distinguir as dermatites de outras doenças, que também podem causar sintomas parecidos. Ele poderá, ainda, prevenir que a doença se espalhe para outros animas e mesmo para os tutores do pet, já que alguns tipos de alergia de cães também podem ser contagiosas para os seres humanos.


Alerta do Novembro Azul: câncer de próstata também atinge os pets


O tratamento das dermatites caninas


A forma de tratamento para a dermatite do cão será indicada de acordo com o agente causador e, por isso, pode contar com diferentes tipos de produtos e medicações combinadas. Na maioria dos casos, o uso de xampus, pomadas específicas e loções antissépticas já começa a ajudar na melhora das feridas causadas pela doença e no alívio das coceiras do cão.


No entanto, de acordo com a gravidade e recorrência dos casos, medicações que incluem anti-histamínicos (antialérgicos), antibióticos e antifúngicos também podem ser incluídas no pacote, para acelerar a recuperação e a cura do animal. Por isso o animal deve sempre ser levado a um médico-veterinário no início dos sintomas.


Nos casos de dermatites causadas por questões psicológicas, até mesmo ansiolíticos podem ser receitados ao cachorro, já que, por terem fatores como o estresse e a depressão entre seus agentes causadores, as dermatites desse tipo devem ser tratadas tanto no sentido de curar as lesões na pele do animal quanto seu estado mental, evitando a reincidência do problema. Muitas vezes o manejo adequado já traz uma grande melhora no quadro, sendo aí indicado a orientação de um profissional em comportamento animal.


Dermatites causadas por fatores que incluem alterações hormonais também podem ser tratadas, e a reposição hormonal combinada com produtos específicos para a limpeza da pele dos cães são algumas das formas de garantir a cura dos animais.


Para os cães com dermatite atópica - que, como relatado anteriormente, não tem cura - além do uso de loções e medicamentos especiais indicados por um veterinário, o ambiente em que o cão mora e o seu modo de viver devem ser constantemente adequados para evitar os fatores que possam desencadear reações alérgicas.


Manter o animal limpo, em ambiente ventilado e com pelagem escovada também podem ajudar a prevenir dermatites nesses casos, assim como a administração de uma dieta balanceada e livre de alimentos que possam causar qualquer tipo de alergia no seu pet.




Castrar é preciso: apadrinhe uma castração no abrigo da APIPA


Guarda Responsável de Animais: assumindo uma vida


APIPA registra aumento de 50% nas adoções de animais durante quarentena


Ajude a APIPA quitar dívidas pendentes em clínica veterinária


Como ajudar a APIPA


Existem diversas formas com as quais o amigo pode participar para contribuir com o trabalho assistencial da APIPA. Um modo bem simples e rápido de ajudar é fazer as doações em dinheiro por meio de transferência/depósito bancário (contas abaixo). O amigo também pode fazer doações (online) por meio do PagSeguro. Lembrando que a nossa associação sobrevive unicamente de doações. Não deixe de oferecer a sua solidariedade em prol do bem-estar dos nossos bichinhos carentes. Ajude-nos!


Ajude! APIPA pede que as doações continuem durante pandemia


Pandemia: APIPA sofre com redução de 70% nas DOAÇÕES ao abrigo


Faça a sua doação de ração para cães e gatos:

Ajude! Falta ração para alimentar mais de 300 animais famintos


CONTAS BANCÁRIAS DA APIPA (doações)


CNPJ: 10.216.609/0001-56

  • Banco do Brasil Ag: 3507-6 / CC: 57615-8 Chave Pix: apipa.bbrasil@gmail.com

  • Caixa Econômica Federal Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0 Chave Pix: apipa.cef@gmail.com

  • Banco Santander Ag: 4326 / CC: 13000087-4


Abandono de animais aumenta e APIPA pede ajuda em Teresina


AJUDE os animais carentes do abrigo da APIPA


Com informações do CachorroGato

APIPA® - ASSOCIAÇÃO PIAUIENSE DE PROTEÇÃO E AMOR AOS ANIMAIS

CNPJ: 10.216.609/0001-56

BANCO DO BRASIL
Ag: 3507-6 / CC: 57615-8

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
Ag: 0855 / Op: 013 / CP: 83090-0

BANCO SANTANDER
Ag: 4326 / CC: 13000087-4

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon

contato.apipa@gmail.com

Rua Trinta e Oito, 1041 - Loteamento Vila Uruguai - Bairro Uruguai (6 quadras após a UNINOVAFAPI)

Teresina, PI - CEP 64073-167

COPYRIGHT © 2018

Site criado pela Pix Marketing Digital

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon